O que se sabe sobre Chérif Chekatt, o atacante de Estrasburgo?

Jovem de 29 anos tem um extenso cadastro por roubo e devia ter sido detido ontem no âmbito de um processo de "assalto com tentativa de homicídio".

O suspeito do ataque de terça-feira à noite não foi ainda formalmente identificado, mas fontes policiais revelaram aos media franceses que estão à procura de Chérif Chekatt, de 29 anos, que tem um longo cadastro. É suspeito de ter morto pelo menos três pessoas num ataque ao mercado de Natal de Estrasburgo, fazendo ainda 13 feridos.

Chekatt, filho de pais marroquinos que nasceu a 4 de fevereiro de 1989 em Estrasburgo, terá estado envolvido em pelo menos 25 processos judiciais, incluindo vários casos de roubo em França e na Alemanha. Foi condenado em 20 ocasiões. Era também um "ficha S" desde 2016, isto é, era um indivíduo que já estava na mira das autoridades por ser considerado uma ameaça à segurança nacional (S é de Segurança do Estado").

A Direção Geral de Segurança Interna tinha detetado, durante uma passagem pela prisão, o seu caráter violento e radicalização religiosa.

Em 2016, o suspeito do ataque em Estrasburgo foi condenado a dois anos e três meses de prisão por invasão de um gabinete de um dentista e de uma farmácia, em 2012 e 2016, de acordo com a AP. No veredicto, ao qual a agência teve acesso, diz que ele também esteve detido em França em 2008 e em Basileia, na Suíça, em 2013, por vários assaltos. Segundo a Der Spiegel, saiu em liberdade em 2017 e foi expulso de volta para a França.

Segundo o mesmo documento, o suspeito cresceu com seis irmãos em Estrasburgo (pelo menos dois terão sido detidos para interrogatório) e que trabalhou para as autoridades locais depois de ter saído da escola, estando desempregado desde 2011. Disse em tribunal que tinha andando a viajar e que já tinha passado seis anos em prisão.

Esta terça-feira, a polícia francesa foi até ao seu apartamento para o deter ao abrigo de um processo de "assalto com tentativa de homicídio", mas ele não estava. Todos os seus alegados cúmplices foram detidos. Durante as buscas ao seu domicílio foi encontrada uma granada defensiva e uma arma ligeira.

Depois de disparar contra as pessoas que estavam no mercado de Natal, o suspeito "semeou o terror" pela cidade de Estrasburgo, tendo fugido pelo menos duas vezes às autoridades. Estará ferido num braço, segundo algumas fontes.

As autoridades suspeitam que terá fugido de táxi. Há mais de 350 elementos das forças de autoridades na caça ao homem, tendo sido aberta uma investigação por homicídio e terrorismo, apesar de a motivação terrorista não estar provada.

Rita Katz, diretora do SITE Intelligence Group (especialista em terrorismo islâmico), escreveu no Twitter que "baseado nos outros ataques no Ocidente reivindicados pelo Estado Islâmico, e a forma como a comunidade de apoiantes tem estado a celebrar, parece óbvio que o Estado Islâmico ou a Amaq [a revista do ISIS] possa reivindicar a responsabilidade do tiroteio de Estrasburgo"

Exclusivos