Nobel da Paz recupera medalha mas certificado está em parte incerta

Casa de Kailash Satyarthi foi assaltada na terça-feira. Polícia deteve três pessoas e recuperou alguns bens

A polícia de Nova Deli recuperou hoje uma réplica do Nobel da Paz furtada na passada terça-feira ao ativista indiano Kailash Satyarthi, galardoado em 2014, e deteve três pessoas, disse fonte oficial à agência Efe.

Na sequência de uma operação realizada esta noite, foi recuperada a réplica da medalha de ouro, várias joias e um computador portátil que tinham sido furtados durante um assalto à vivenda, indicou fonte policial da zona de Kalkaji, em Nova Deli.

A mesma fonte, que falou sob a condição de anonimato, detalhou à agência noticiosa espanhola que não foi, contudo, possível recuperar o certificado que acredita Kailash Satyarthi como prémio Nobel da Paz e que foi dado como desaparecido após o furto.

O episódio teve lugar na madrugada de terça-feira na casa do ativista no sul da capital indiana, onde foram assaltadas outras três vivendas.

O ativista indiano, que foi laureado com o Nobel da Paz em 2014 pela sua luta contra o trabalho infantil, ao ter libertado mais de 80 mil crianças da escravidão, estava fora da Índia quando ocorreu o assalto à sua vivenda.

Satyarthi, 52 anos, foi galardoado com o Nobel da Paz com a paquistanesa Malala Yousafzai, hoje com 19 anos e a mais jovem laureada com o prémio.

A organização não-governamental do ativista indiano, BBA, leva a cabo rusgas para resgatar menores em oficinas e fábricas onde se usa mão-de-obra infantil às vezes sem comunicar à polícia indiana o lugar em concreto para evitar fugas de informação.