Navalny acusa Putin de obsessão pelos envenenamentos secretos

O oposicionista russo Alexey Navalny disse nesta segunda-feira que o presidente Vladimir Putin "está obcecado com a ideia dos envenenamentos secretos", como aquele de que foi alvo em agosto.

Numa entrevista registada em vídeo por um blogger russo, e difundida através da plataforma digital YouTube, Alexey Navalny relata ao longo de duas horas o estado de saúde em que se encontra, depois de ter recebido alta do hospital de Berlim onde esteve internado depois do envenenamento com gás nervoso do tipo Novichok.

"As minhas mãos tremem. Se bebo água de uma garrafa 'dou espetáculo'." Mas a cada dia que passa estou melhor. Trabalho com um fisioterapeuta. Hoje começou a ensinar-me malabarismo de uma forma, que dentro de algum tempo vão ficar a ver como faço malabarismos", disse Navalny visivelmente bem-disposto.

"Preciso de fazer muitos exercícios do lado esquerdo e do lado direito para que o cérebro saiba o que tem de fazer. Tudo vai ficar bem, vou melhorar", disse o dirigente da oposição extraparlamentar russo em entrevista presencial com Yury Dud, um popular bloguista russo.

Navalny começou a sentir-se mal a bordo do avião que fazia a rota entre Tomsk, na Sibéria, e Moscovo, no passado dia 22 de agosto, acabando por entrar em coma. tendo sido mais tarde transferido para um hospital de Berlim, a pedido da família.

Tal como na primeira entrevista, que foi concedida à revista alemã Der Spiegel, na semana passada, Navalny voltou a acusar o Vladimir Putin de estar "por trás" do envenenamento, uma acusação que o Kremlin já qualificou "insultuosa e inaceitável".

"Acreditas realmente que foi Putin quem deu a ordem?", questionou o blogger durante a conversa com Navalny.

"Eu não vejo outra situação. Se me perguntas porquê eu tenho uma resposta: porque nos dois últimos anos todo o nosso sistema está sob uma pressão sem precedentes", afirmou o opositor.

"Sabes que houve buscas e que as contas bancárias dos nossos apoiantes foram congeladas? Na minha opinião tudo isto foi obra dos Serviços de Segurança da Rússia [FSB] ou dos serviços de espionagem por instrução direta de Putin, sem dúvida", afirmou.

O político disse ainda que o envenenamento de que foi vítima só pode estar relacionado com as eleições para a câmara baixa do Parlamento (Duma) no próximo ano.

"Tudo indica que Putin está possuído pela ideia de envenenamentos secretos", acusou Navalny, acrescentando que o Novichok é uma arma química que não se compra "num supermercado".

Navalny recordou a atuação do Ministério da Saúde da Rússia, que enviou médicos para impedirem a transferência para Berlim e destacou as "mentiras fantásticas" de Putin, que sugeriu, supostamente numa conversa com o chefe de Estado francês, que o opositor russo se tinha envenenado a si próprio.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG