Moderna confirma eficácia e pede uso de emergência da vacina

A empresa farmacêutica solicitou às autoridades americanas e europeias a autorização de utilização da vacina, garantindo que nos casos mais graves a eficácia é de 100%.

A farmacêutica norte-americana Moderna solicitou esta segunda-feira a autorização para a utilização da sua vacina contra a covid-19, depois de ter sido confirmado que a eficácia é de 94,1%.

Neste sentido, a empresa solicitou às autoridades americanas (FDA) a utilização da vacina em caso de emergência, bem como a aprovação condicional por parte da Agência Europeia de Medicamentos.

Há duas semanas foram publicados resultados preliminares que colocavam a eficácia da vacina nos 94,5%, mas a empresa americana anuncia agora que não foi registado qualquer problema de segurança, razão pela qual tem uma taxa de êxito de 100% na prevenção de casos graves, com sintomas mais severos.

"Esta análise primária positiva confirma a capacidade da nossa vacina de prevenir a doença por covid-19 com 94,1% de eficácia e, mais importante, a capacidade em prevenir os casos graves da covid-19. Acreditamos que a nossa vacina vai providenciar uma nova e poderosa ferramenta que permitirá mudar o rumo desta pandemia e ajudar a prevenir os casos graves, as hospitalizações e as mortes", justificou Stéphane Bancel, diretor executivo da Moderna.

De acordo com o comunicado divulgado pela Moderna, a Análise Primária de Eficácia da Fase 3 do Estudo COVE para a vacina contra a Covid-19 foi realizada em 196 pacientes com casos confirmados de covid-19, dos quais 30 eram graves. Nesse sentido, foi verificado que a vacina foi eficaz 94,1% dos casos, sendo que nos casos graves a eficácia de 100% nos casos graves.

A nota da Moderna acrescenta ainda que a eficácia da vacina "foi consistente no que toca à idade, raça, etnia e género", não tendo sido registados casos com efeitos graves até ao momento.

Após ser feito o pedido de autorização de utilização das vacinas, o próximo passo da Moderna será a realização da reunião do Vaccines and Related Biological Products Advisory Committee (VRBPAC) onde serão revistos os dados de segurança e eficácia, sendo que, de acordo com informações dadas pela FDA à Moderna, os resultados serão comunicados no dia 17 de Dezembro de 2020.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG