Menina sofre de doença em que tem de arrancar a própria pele

Shalini Yadav é conhecida como a "menina serpente" na aldeia onde mora. Diz que quer viver, mas mãe afirma que a "morte é melhor do que uma vida miserável"

Arranca a sua pele a cada seis semanas. Passa o corpo por água a cada hora. E devia colocar creme hidratante a cada três/quatro horas. No entanto, a família de Shalini Yadav teve de escolher entre os cremes e alimentar uma família de oito pessoas. Comida para todos foi a escolha.

Assim, a jovem de 16 anos, natural de uma pequena aldeia na Índia, que devia hidratar a pele para que esta não endureça, devido a uma rara doença a que os médicos chamaram Erythroderma (em inglês), tem de arrancar e "renovar" a sua própria pele a cada seis semanas. Sofre da doença desde bebé.

Conhecida como "menina serpente", Shalini foi expulsa da escola porque "as crianças têm medo", diz o Metro.

Também conhecida como Síndrome do Homem Vermelha, é uma doença que os médicos não conseguem curar.

O caso já foi alvo de várias reportagens, de órgãos de comunicação de todos os cantos do planeta.

"Eu quero estudar mas expulsaram-me da escola porque as crianças têm medo da minha cara. Toda a gente na minha família sofre por causa da minha doença. Mas a culpa é minha? Que crime cometi para ser amaldiçoada com esta doença? Eu quero viver. Por favor ajudem-me, se puderem", disse Shalini.

Já a mãe, Devkunwar, diz que a doença faz a filha sofrer tanto que a morte poderia ser melhor. "Mais vale morrer que viver uma vida miserável", afirma.

O caso deu origem a uma angariação de fundos no site Just Giving e já foram angariados cerca de 1400 euros.

Exclusivos