Menina de sete anos consegue embarcar sozinha e sem bilhete em voo da EasyJet

Criança fez de conta que estava acompanhada e conseguiu iludir vigilância no aeroporto de Genebra, na Suíça

Uma criança de sete anos conseguiu fugir dos pais e embarcar sozinha, e sem bilhete, num voo da EasyJet que se preparava para descolar do aeroporto de Genebra, na Suíça.

Segundo um porta-voz do aeroporto, citado pelas agências internacionais, o incidente aconteceu no domingo: a menina, que não foi identificada, conseguiu iludir a vigilância dos pais quando estavam na principal estação de comboios de Genebra e foi de comboio até ao aeroporto.

Bernard Stampfli, do aeroporto de Genebra, explicou que a criança, já no terminal, e "tirando partido do tamanho", foi capaz de atravessar os controlos de segurança e não despertou qualquer suspeita, pois conseguiu sempre fazer de conta que caminhava à frente ou atrás de grupos de adultos com quem os restantes passageiros julgavam que se encontraria.

Depois de tentar embarcar num avião a primeira vez e ter constatado que não iria conseguir, voltou a tentar pouco tempo depois, já com sucesso, aparentemente por ter ido por uma passagem acessível apenas a uma criança, devido ao tamanho, conta a imprensa suíça. Mas, quando subiu a bordo de um avião da EasyJet, que tinha como destino a Córsega, foi detetada por um membro da tripulação e entregue às autoridades.

O aeroporto está já a melhorar as medidas de segurança, informou o porta-voz, de forma a garantir que as crianças estão sempre acompanhadas por adultos em todas as fases da viagem.

Exclusivos

Premium

Livro

Antes delas... ninguém: mulheres que desafiaram o domínio masculino

As Primeiras - Pioneiras Portuguesas num Mundo de Homens é o livro com as biografias de 59 mulheres que se atreveram a entrar nas profissões só de homens. O DN desvenda-lhe aqui oito dessas histórias, da barrista Rosa Ramalho à calceteira Lurdes Baptista ou às 'Seis Marias' enfermeiras-paraqueditas, entre outras