Legionário francês foi um dos cérebros dos atentados de Paris

Himich entrou para a Legião Estrangeira em 2008, tendo combatido no Afeganistão e recebido várias condecorações

O marroquino Abdelilah Himich, antigo legionário francês, que está na Síria desde 2014, é considerado pelos serviços secretos norte-americanos como um dos cabecilhas dos ataques jihadistas de 13 de novembro de 2015 em Paris.

Por ocasião do primeiro aniversário dos ataques na capital francesa que causaram 130 mortos e várias centenas de feridos, o jornal francês "Le Journal du Dimanche" publicou a informação que já tinha sido revelada pela revista norte-americana "Sentinel", com base nos dados do Centro de Análise do Terrorismo (CAT).

Himich, que adotou o nome de "Aboy Souleymane", nasceu em Rabat (capital marroquina) em 1989, mas foi na localidade de Lunel, perto da cidade de Montpellier, no sul de França, que cresceu.

O CAT cita fontes dos serviços secretos dos Estados Unidos (EUA) para o colocar entre os cérebros que planearam os ataques de Paris.

Em 2008, Himich entrou para a Legião Estrangeira, tendo combatido no Afeganistão e recebido várias condecorações até ser considerado desertor em 2010.

Em 2012, o marroquino foi condenado em França por tráfico de drogas, depois de ser apanhado com um quilo de cocaína.

Mesmo assim, continuou a trabalhar como segurança para duas empresas privadas.

No início de 2014 partiu para a Síria com outros jovens de Lunel para integrar a Frente Al Nusra (que na altura era uma filial da Al Qaeda e que agora se chama Frente da Conquista do Levante), antes de se envolver com o Estado Islâmico.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG