Le Pen defende fim da educação gratuita para filhos de estrangeiros em situação irregular

Líder da Frente Nacional discursou esta quinta-feira em Paris e defendeu fim da educação gratuita para os filhos de estrangeiros em situação irregular

Marine Le Pen, a líder da Frente Nacional que será candidata à presidência francesa em 2017, defendeu esta quinta-feira em Paris que os filhos de estrangeiros que residam em França em situação irregular não devem ter direito à educação gratuita.

Discursando na capital francesa, a líder do partido de extrema-direita sublinhou que nada tem contra estrangeiros, acrescentando: "Mas digo-lhes: se vêm para o nosso país, não esperem que tomem conta de vós, que as vossas crianças terão acesso à educação sem custos".

O discurso anti-imigração tem sido constante na campanha de Le Pen, que segundo as últimas sondagens deverá chegar à segunda volta da corrida para o Eliseu que se realiza no próximo ano: os números mais recentes colocam-na a par e passo de François Fillon, o candidato de centro-direita que foi escolhido nas primárias do final do passado mês de novembro.

Porém, cerca de três terços dos eleitores franceses prefeririam Fillon a Le Pen, a confirmar-se o duelo entre os dois numa segunda volta.

Apesar das declarações de Le Pen, a educação gratuita está consagrada na legislação francesa desde 1881 e consta, refere o Le Monde, no preâmbulo da Constituição da IV República francesa, de 1946, abrangindo todas as crianças dos 6 aos 16 anos independentemente da situação dos pais.

Exclusivos