França pode perder o controlo da pandemia "a qualquer momento"

O conselho científico que apoia o governo francês na luta contra a covid-19 admitiu esta terça-feira que a França pode perder "a qualquer momento" o controlo da pandemia do novo coronavírus.

Na análise, o conselho científico alerta que "mais recentemente o vírus tem estado a circular de uma forma mais ativa sobretudo com o levantar do distanciamento e de algumas medidas de proteção".

Depois de dois meses de confinamento, a França tem progressivamente levantado algumas das medidas de restrição social anti-covid. Contudo, os novos casos têm obrigado a novas medidas em algumas cidades gaulesas.

"O equilíbrio é muito frágil e podemos mudar para um cenário de menor controlo sobre a pandemia, como está a acontecer em Espanha", indica o parecer científico que alerta para o ressurgimento da circulação do vírus no outono, sobretudo depois das férias de verão

"No imediato, o controlo está nas mãos dos cidadãos e na sua adesão às medidas anti-covid, tais como manter distância de outras pessoas, usar máscaras de proteção em espaços públicos", indicam as notas do conselho noticiado pela agência France Press.</p>

Dados do departamento de saúde francês indicam que o número de infetados com a covid-19 no cuidados intensivos dos hospitais gauleses tem aumentado desde a passada sexta-feira. No mesmo período mais 29 óbitos foram reportados contribuindo para o total (à data da publicação deste texto) de 30,294 mortos em França.</p>

No pico da pandemia, em abril, mais de 7100 pessoas estavam a necessitar de cuidados intensivos nos hospitais franceses - a disponibilidade de camas no país é de um total de 5 mil

França o registo do aumento de novos casos na última semana levou a que algumas regiões e cidades tenham imposto novas medidas restritivas para impedir o vírus de se espalhar

Com o aumento dos casos que já excederam as mil pessoas infetadas, desde o final de julho, o primeiro-ministro francês, Jean Castex, apelou, para que os franceses "não baixem a guardar", de forma a prevenir um eventual segundo período de cofinamento.

"Estamos a observar o aumento de casos e por isso devemos estar mais atentos que nunca", afirmou Castex.

<p>"Peço a todos as pessoas em França para permanecerem muito vigilantes. A luta contra a pandemia depende do Estado, das cidades, das comunidades locais e das instituições, mas também de cada um de nós", alertou.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG