Exército chinês vai servir de cobaia em vacina para a covid-19

China autoriza vacinação dos militares. Vacina foi desenvolvida pela Academia Militar de Ciências Médicas e a farmacêutica chinesa CanSino Biologics.

O mundo anda literalmente à procura de uma vacina para a covid-19 e a China prepara-se para liderar a corrida à cura para a pandemia à qual deu origem. Para isso aprovou o uso interno da vacina no Exército, desenvolvida pelo Academia Militar de Ciências Médicas e a farmacêutica chinesa CanSino Biologics. É a primeira a passar a fase de testes e aplicada em humanos,

Os militares chineses vão assim ser cobaias de uma vacina que recorre a clonagem molecular da covid-19, técnica da engenharia genética conhecida também por ADN recombinante, e foi aprovada para "uso exclusivo dos militares" chineses, em 25 de junho, pela Comissão Militar Central, segundo a imprensa local. A aprovação é válida por um ano.

O projeto começou ainda o mundo não estava confinado. Temendo uma segunda fase, a China deu início a vários projetos para encontrar uma vacina para o chamado vírus de Wuhan. Um deles foi liderado pela Academia Militar de Ciências Médicas do Exército de Libertação Popular (EPL), as forças armadas chinesas, ainda em março.

Os esforços no terreno foram dirigidos pela bioengenheira e general de brigada Chen Wei, que foi para Wuhan no final de janeiro. O resultado do seu trabalho é uma vacina de subunidade, uma fórmula de nova geração que só contém certos antígenos específicos sem patógenos, razão pela qual é considerada mais segura do que as técnicas tradicionais.

O início dos testes clínicos foi anunciado em meados de março e já com a colaboração da farmacêutica chinesa CanSino Biologics. Nesta primeira etapa, a solução chinesa foi aplicada a 108 pessoas saudáveis, escolhidas entre mais de 5200 candidatos, divididas em três grupos de acordo com a dose recebida. A vacina da CanSino passou pelas fases um e dois de testes, que indicaram que tem "potencial para prevenir doenças causadas pelo Sars-Cov-2", o vírus que causa a covid-19, segundo a faramacêutica. Agora vai ser iniciada a fase três, com a vacinação do Exército.

Nesta altura há cerca de 150 projetos de vacina, a maioria desenvolvida por entidades privadas. Uma delas foi desenvolvida em Oxford, está pronta a ser testada no Brasil e África do Sul e é a mais avançada do mundo, segundo a Organização Mundial de Sáude.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG