Estudantes filipinos vão ter de plantar dez árvores para se licenciarem

Se a nova legislação for devidamente cumprida, pode resultar em 175 milhões de novas árvores por ano

O parlamento filipino aprovou uma lei que obriga todos os estudantes do ensino secundário e universitário a plantar pelo menos dez árvores antes de se formarem. Uma geração pode plantar cerca de 525 mil milhões de árvores.

"Com mais de 12 milhões de alunos formados, quase cinco milhões a concluir o ensino secundário e quase 500 mil a sair da faculdade todos os anos... se isto for implementado corretamente são pelo menos 175 milhões de novas árvores a serem plantadas todos os anos", disse o representante do partido Magdalo, Gary Alejano, o principal autor da legislação, citado pelo jornal The Independedent. "Numa geração podem ser plantadas 525 mil milhões de árvores por causa desta iniciativa".

É a formalização de uma tradição que consistia em plantar árvores depois da licenciatura, mas também uma forma de combater as alterações climáticas. Por um lado, há um impacto ambiental imediato decorrente do facto das árvores absorverem o dióxido de carbono e por outro é um contributo para a educação ambiental dos mais novos. A implementação e garantia de que a lei está a ser cumprida ficará a cargo do departamento de Educação do país e da Comissão de Ensino Superior.

As árvores vão ser plantadas em áreas protegidas; em florestas, terrenos militares e centros urbanos. E as espécies deverão ser selecionadas em função do clima do local onde serão plantadas, sendo que será dada prioridade às espécies nativas das Filipinas.

As Filipinas são um dos países que mais sofreu com a desflorestação nos últimos anos. Durante o século XX, a sua cobertura florestal passou de 70% para apenas 20% A extração ilegal de madeira é também muito elevada e a falta de árvores tem vindo a aumentar o risco de deslizamentos de terras e a acentuar o impacto das inundações.

Exclusivos