Eagles of Death Metal: "Rapaz salvou-se porque estava escondido debaixo do meu casaco"

Banda norte-americana deu a primeira entrevista após os atentados de Paris. Contou como um rapaz se salvou e como tantas pessoas morreram porque não quiseram abandonar os amigos

Uma semana depois dos atentados de 13 de novembro em Paris, o vocalista dos Eagles of Death Metal não consegue esconder a emoção ao falar do que assistiu no Bataclan. Jesse Hughes recordou, na primeira entrevista da banda após os ataques, como muitas pessoas morreram porque não quiseram deixar os seus amigos e como um rapaz se salvou porque se escondeu debaixo do seu casaco de cabedal.

Os Eagles of Death Metal tocavam na sala de espetáculo Bataclan quando extremistas armados entraram e abriram fogo sobre quem assistia ao concerto da banda norte-americana. Nem quem procurou refúgio no camarim de Jesse Hughes sobreviveu. "Muitas pessoas esconderam-se no meu camarim e os assassinos conseguiram lá entrar e mataram todas as pessoas, exceto um rapaz que estava escondido debaixo do meu casaco de cabedal", contou o vocalista da banda ao site Vice, que divulgou um excerto da entrevista, que será publicada na íntegra durante a semana.

Jesse Hughes recordou ainda como, apesar da situação, muitos foram os que não fugiram. "As pessoas estavam a fingir que estavam mortas e estavam tão assustadas. Uma das razões para tantas mortes foi porque muitas pessoas não quiseram abandonar os amigos. Tantas pessoas meteram-se à frente de outras pessoas", salientou.

As pessoas estavam a fingir que estavam mortas e estavam tão assustadas

Todos os elementos da banda sobreviveram ao atentado, mas o responsável pelo merchandising dos Eagles of Death Metal e três pessoas da sua editora estão entre os 89 mortos no Bataclan. No total dos atentados em Paris morreram 130 pessoas.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG