Covid-19. Disney reabre parques a meio de recorde de casos

Os parques da Disney World na Florida reabriram quatro meses após o encerramento devido à pandemia, no preciso momento em que se batem recordes de casos.

O Walt Disney World's Magic Kingdom e o Animal Kingdom reabriram no sábado, em Orlando, Florida, enquanto os estúdios Epcot e Hollywood Studios vão reabrir na quarta-feira. O momento para a reabertura não podia ser mais controverso: a Florida continua a acumular um número quase recorde de novos casos de coronavírus.

Temperatura corporal controlada, menos entradas diárias, medidas de distanciamento social e uso obrigatório de máscara: é assim que a Disney reabre os parques de Orlando, na sequência do regresso à atividade dos parques na China e no Japão.

No entanto, na Disneyland, na Califórnia, os dois parques temáticos e hoteis mantêm-se fechados, e sem data de reabertura. O centro comercial, Downtown Disney, reabriu nesta semana, para alegria de milhares de pessoas que encheram as ruas e as lojas num condado (Orange County) em que as hospitalizações devido ao covid subiram 97% em três semanas, como conta o Los Angeles Times.

A Florida reportou 11.433 novos casos de covid-19 na sexta-feira, o maior aumento diário desde 3 de julho, quando foram registados 11.458 casos. O departamento de saúde daquele estado do sudeste dos EUA reportou novas 435 hospitalizações, o maior aumento diário naquele estado.

No sábado, a Florida reportou mais 421 novas hospitalizações, bem como 10.360 novos casos de covid-19, elevando o número total de casos no estado para 254.511. O número de mortos em todo o estado, que tem mais de 21 milhões de habitantes, chegou aos 4.200.

Na sexta-feira, e pela primeira vez, os Estados Unidos registaram mais de 70 mil novos casos de coronavírus. Além da Florida, contribuíram para o número recorde a Califórnia, Texas e Geórgia.

Um total de mais de 3,3 milhões de casos de coronavírus foram registados até agora em todo o país, cerca de um quarto dos casos oficialmente contabilizados em todo o mundo. Nos EUA o vírus já matou 137 mil pessoas.

O aumento dos casos levou muitas cidades e condados da Florida a restabelecer as restrições e medidas de segurança que tinham sido levantados em maio, quando os casos pareciam estar a cair.

O governador republicano da Florida, Ron DeSantis, disse que não vai decretar a obrigatoriedade do uso de máscaras em locais públicos, ao contrário do que muitos países exigem ou aconselham, em harmonia com os conselhos de peritos em saúde púnlica como medida para evitar a propagação do vírus.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG