Diretor do gabinete de ligação da China em Macau morre após queda de edifício

Zheng Xiaosong tinha 59 anos

O diretor do gabinete de ligação da China em Macau morreu após uma queda do edifício onde morava, informaram hoje as autoridades de Pequim, adiantando que Zheng Xiaosong "sofria de depressão".

A informação foi divulgada através de um comunicado divulgado pelo Gabinete para os Assuntos de Hong Kong e Macau (HKMAO, na sigla em inglês), com sede em Pequim. Segundo o HKMAO, "o camarada morreu de uma queda na sua residência", em Macau, lembrando que Zheng "sofria de depressão", deixando implícito que se poderá tratar de suicídio.

Zheng Xiaosong, de 59 anos, tinha assumido o cargo no ano passado. Segundo o gabinete de ligação em Macau, Zheng Xiaosong trabalhou no dia anterior à sua morte e recebeu representantes de um 'think tank' em Macau no seu gabinete. Nenhum detalhe adicional foi dado sobre as condições daquele responsável antes de sua morte.

Zheng Xiaosong esteve envolvido em negociações na década de 1990 entre o Reino Unido e a China sobre a reforma política em Hong Kong no período que antecedeu a transferência de soberania em 1997.

"Líderes do Governo central encarregaram camaradas do departamento de organização e da HKMAO de viajarem para Macau e enviarem condolências à família de Zheng", pode ler-se no comunicado citado pelo SCMP, segundo o jornal South China Mornig Post (SCMP).

O chefe do executivo de Macau enviou já uma mensagem de condolências dirigida ao gabinete de ligação do Governo chinês naquele território, expressando "profundo pesar" pela morte do diretor, Zheng Xiaosong. "Foi com profunda consternação que recebi a notícia da morte do diretor Zheng Xiaosong. Manifesto, em nome pessoal e em nome do Governo da Região Administrativa Especial de Macau, o mais profundo pesar e endereço as nossas sentidas condolências à sua família", pode ler-se na mensagem de Chui Sai On.

Exclusivos