Detido um dos suspeitos de assaltar embaixada norte-coreana em Madrid

Cinco pessoas ligadas ao assalto têm passaportes sul-coreanos e pelo menos três fugiram para os Estados Unidos. Todas serão membros de um grupo de dissidentes que tem o objetivo de destronar o regime norte-coreano.

As autoridades norte-americanas realizaram esta sexta-feira a primeira detenção ligada ao assalto à embaixada da Coreia do Norte em Madrid, no passado dia 22 de fevereiro, avançou a imprensa local. De acordo com o jornal The Washington Post, as autoridades detiveram o antigo marinheiro dos EUA Christopher Ahn, alegado membro do grupo de dissidentes Cheollima Civil Defense (CDC), empenhado em destronar o regime norte-coreano.

Agentes federais norte-americanos revistaram ainda o apartamento de Adrian Hong, líder do grupo, noticiou o mesmo jornal, citando duas pessoas próximas à investigação.

Num comunicado enviado ao jornal, o advogado de Adrian Hong, Lee Wolosky, lamentou que o Departamento de Justiça dos EUA tenha decidido avançar com mandados de detenção contra cidadãos norte-americanos "que derivam de queixas criminais apresentadas pela Coreia do Norte".

No assalto à embaixada norte-coreana em Madrid, no passado dia 22 de fevereiro, o pessoal da delegação foi "algemado e espancado durante horas por um grupo de sete homens que entraram nas instalações e roubaram equipamentos informáticos", de acordo com um documento tornado público pela Justiça espanhola.

O grupo CDC, também conhecido como Free Joseon, reivindicou a responsabilidade pelo ataque.

De acordo com o documento judicial, cinco pessoas ligadas ao assalto têm passaportes sul-coreanos e pelo menos três fugiram para os Estados Unidos, onde as autoridades acreditam que residem desde o ataque.

Um dos suspeitos chegou a partilhar informações com o FBI já em território norte-americano, segundo a Justiça espanhola.

As primeiras informações chegaram a levantar suspeitas de que a CIA (serviços secretos norte-americanos) poderia ter estado envolvida na operação, que ocorreu apenas cinco dias antes da segunda cimeira entre o Presidente dos EUA, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong-Un, na capital do Vietname, Hanói.

No entanto, a acusação foi negada categoricamente pelo porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Robert Palladino.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Dos pobres também reza a história

Já era tempo de a humanidade começar a atuar sem ideias preconcebidas sobre como erradicar a pobreza. A atribuição do Prémio Nobel da Economia esta semana a Esther Duflo, ao seu marido Abhijit Vinaayak Banerjee e a Michael Kremer, pela sua abordagem para reduzir a pobreza global, parece indicar que estamos finalmente nesse caminho. Logo à partida, esta escolha reforça a noção de que a pobreza é mesmo um problema global e que deve ser assumido como tal. Em seguida, ilustra a validade do experimentalismo na abordagem que se quer cada vez mais científica às questões económico-sociais. Por último, pela análise que os laureados têm feito de questões específicas e precisas, temos a demonstração da importância das políticas económico-financeiras orientadas para as pessoas.