Corinna Larsen: Afastamento do rei Juan Carlos foi um "golpe" combinado pela família com Mariano Rajoy

Em entrevista à revista "Paris Match", a ex-amante do rei Juan Carlos de Espanha diz que ele não confiava na família e há mais de 30 anos que tem uma vida separada da mulher.

Corinna Larsen, ex-amante do rei Juan Carlos, garante que o monarca emérito foi vítima de um "golpe" interno para fazê-lo abdicar. Corinna garante que a ideia surgiu entre membros da família real espanhola com o apoio do ex-presidente Mariano Rajoy.

As declarações estão na última edição da revista francesa Paris Match, que entrevista Corinna Larsen. De acordo com a empresária, os problemas de saúde de Juan Carlos e a relação extra-conjugal que foi revelada com o polémico safari no Botswana foram as desculpas perfeitas para levar a cabo o complot contra o monarca.

Terá sido o próprio Juan Carlos a confessar-lhe: "Tenho duas frentes contra mim. A primeira é composta pela minha mulher e seus tenentes: ela tem pressa em colocar o filho no trono porque tem muito mais influência sobre ele do que sobre mim. A segunda é encarnada por Mariano Rajoy, cujo objetivo é castrar-me e enfraquecer a monarquia".

Na entrevista à Paris Match, a empresária revela vários detalhes daqueles anos que passou com o ex-chefe de Estado e disponibilizou uma fotografia que mostra a intimidade do casal: nela vê-se Juan Carlos, com uma roupa informal - de calções, camisa xadrez de manga curta e boné voltado para trás - a preparar uma carne na quinta de La Angorrilla, perto de Madrid. Ao lado dele aparece uma criança, Casimir, filho de Corinna.

Segundo a ex-amante do rei, o casamento de Juan Carlos e Sofia foi arranjado por motivos políticos e há mais de 30 anos que os dois vivem praticamente separados.

Sobre os 100 milhões de dólares supostamente recebidos por Juan Carlos do então rei da Arábia Saudita, Abdullah, Corinna garante que não se tratou de um suborno para o contrato do comboio de alta velocidade entre Medina e Meca. Quanto aos 65 milhões de euros que Juan Carlos lhe deu, Corinna insiste que o fez por afeto por ela e pelo filho, e também porque não confiava na sua família. O rei emérito temia, segundo a versão da sua ex-amante, que, quando ele desaparecesse, a sua vontade não fosse respeitada, por isso optou por doar o dinheiro em vida.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG