Cidadã suíça raptada por homens armados no Mali

Béatrice foi levada de sua casa em Tombuctu, onde vivia há vários anos

Uma cidadã suíça foi raptada na noite de quinta-feira em Tombuctu no noroeste do Mali, onde vivia há vários anos e já tinha sido raptada em 2012, disseram hoje diversas fontes citadas pela agência France Presse.

"Quinta-feira à noite, Béatrice, uma cidadã suíça foi levada de sua casa em Tombuctu por homens armados", declarou à AFP um responsável do distrito de Tombuctu, informação que foi confirmada por fonte da segurança maliana.

Béatrice Stockly já tinha sido raptada em abril de 2012 por islamitas, tendo sido libertada pouco tempo depois através de uma mediação do Burkina Faso.

Dois reféns, um sul-africano e um sueco, raptados em Tombuctu em 2011 pela Al-Qaeda do Magrebe Islâmico (AQMI), continuam cativos.

O norte do Mali ficou em março e abril de 2012 sob controlo de grupos 'jihadistas' ligados à Al-Qaeda, entre os quais o AQMI.

Os grupos foram perseguidos e em grande parte dispersos após o lançamento, por iniciativa da Franca em janeiro de 2013, de uma intervenção militar internacional que continua. No entanto, vastas zonas da região escapam ao controlo das forças malianas e estrangeiras.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG