Câmara de Paris multada por empregar demasiadas mulheres

Anne Hidalgo, a autarca da capital francesa, anunciou que ter de pagar 90 mil euros por violar uma lei que entretanto já foi revogada.

A Câmara Municipal de Paris foi multada em 90 mil euros por empregar muitas mulheres em cargos importantes, uma decisão ridicularizada e considerada como "absurda", esta terça-feira, pela autarca Anne Hidalgo.

A multa de 90 mil euros foi aplicada pelo Ministério da Função Pública com o argumento de que o município de Paris violou as regras nacionais sobre igualdade de género no seu quadro de funcionários de 2018.

"Tenho o prazer de anunciar que fomos multados por termos nomeado muitas mulheres para cargos de direção", disse Hidalgo numa reunião do conselho municipal, garantindo que ficou cheia de "alegria" quando soube da pena.

Hidalgo assumiuse como culpada porque 11 mulheres e apenas cinco homens foram nomeados para cargos de gestão na prefeitura em 2018, o que significa que 69% das nomeações foram para mulheres. "A gestão do municipio tornou-se, de repente, demasiado feminista", ironizou a socialista, que no ano passado foi reeleita para um novo mandato.

De acordo com o texto da decisão, revelado pelo diário Le Monde, o município violou uma norma de 2013, a qual determina que não deve haver mais de 60% de nomeações para cargos de gestão de apenas um género.

Anne Hidalgo garantiu que levará pessoalmente o cheque da multa ao governo, junto com os seus vice-presidentes e todas as mulheres que trabalham com ela.

"Esta multa é obviamente absurda, injusta, irresponsável e perigosa", assumiu, lembrando que, em França, as mulheres devem ser promovidas com "vigor" porque "a discrepância em todo o país ainda é muito grande". "Para um dia alcançarmos a paridade, devemos acelerar o ritmo e garantir que sejam nomeadas mais mulheres do que homens", assumiu.

Amelie de Montchalin, ministra do Serviço Público, já veio comentar a situação através do Twitter, lembrando que a multa foi aplicada em 2018 e que, depois disso, esta regra "absurda" foi revogada. "Quero que Paris pague a multa relativa a 2018 para financiar ações concretas de promoção das mulheres no serviço público. Convido-vos a vir ao ministério para discuti-las!", escreveu, dirigindo-se a Anne Hidalgo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG