Boris Johnson e ministro da Saúde testam positivo. Vão trabalhar em casa

O primeiro-ministro revelou que está infetado com o novo coronavírus mas afirma que irá liderar o governo através de videoconferência. Ministro da Saúde Matt Hancock também testou positivo.

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson testou positivo ao coronavírus, revelou o próprio no Twitter, anunciando que irá manter-se em funções, em isolamento e recorrendo à tecnologia para liderar o governo. O ministro da Saúde Matt Hancock também anunciou que testou positivo ao coronavírus e diz que irá trabalhar a partir de de casa.

"Nas últimas 24 horas tive sintomas ligeiros e testei positivo ao coronavírus. Vou entrar em isolamento mas continuarei a liderar o governo através de videoconferência enquanto combatemos este vírus", escreveu o governante no Twitter, onde também colocou um vídeo com uma mensagem aos britânicos. "Juntos vamos vencer", acrescentou na sua mensagem escrita.

No vídeo, Boris Johnson, 55 anos, confirma que desenvolveu sintomas ligeiros - "temperatura e tosse persistente" - nas últimas 24 horas e, a conselho do médico, fez um teste que deu positivo ao coronavírus.

Johnson diz que agora se irá auto-isolar e trabalhará em casa. O líder dos Conservadores disse que graças à "magia da tecnologia moderna" continuará a liderar a resposta do país contra o coronavírus.

Agradeceu ainda ao NHS (Serviço Nacional de Saúde) e a todos que os que trabalham para manter o país ativo neste tempo de pandemia, permanecendo confiante de que o Reino Unido vencerá. Reiterou que ficar em casa é fundamental para impedir a propagação do vírus.

O seu gabinete também avançou com uma uma nota a confirmar o teste positivo. "Depois de constatar sintomas ligeiros ontem (quinta-feira), o primeiro-ministro foi testado para detetar o coronavírus" e "o resultado é positivo", disse um porta-voz de Downing Street em comunicado.

Pouco depois do anúncio de Boris Johnson foi o seu ministro da Saúde, Matt Hancock, vir a público revelar também que estava infetado. Hancock disse que tinha sintomas ligeiros e que iria trabalhar a partir de casa.

Boris Johnson é o segundo governante a testar positivo ao coronavírus, depois do Príncipe Alberto do Mónaco, que também testou positivo.

O Príncipe Carlos também tinha testado positivo esta semana e isolou-se. Até agora, diz o The Guardian,o Palácio de Buckingham recusou comentar se a rainha Isabel II, que completará 94 anos no próximo mês, foi testada ao covid-19. As reuniões de Boris Johnson com a rainha estavam agora a ser efetuadas por telefone, diz o jornalista da ITV Chris Shipp.

O príncipe Charles, que viu a mãe pela última vez em 12 de março, foi testado na segunda-feira e descobriu ter coronavírus.

O Reino Unido teve uma estratégia inicial de combate ao covid-19 que passava por medidas pouco restritivas de distanciamento social da população mas rapidamente inverteu o plano. Está em quarentena como a generalidade dos países europeus com Johnson a pedir aos britânicos para ficarem em casas, tendo encerrado escolas e outros serviços públicos.

O país tem 11.648 casos confirmados e já registou 578 mortes.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG