Bactéria escapou de laboratório e infetou mais de 3.000 com brucelose

Um total de 3.245 pessoas testaram positivo para a bactéria, após testes realizados desde o incidente em 2019.

Mais de 3.000 pessoas contraíram brucelose, uma doença de origem animal, no noroeste da China, depois de, em 2019, a bactéria ter escapado de um laboratório biofarmacêutico que produz vacinas para animais, revelaram nesta sexta-feira as autoridades.

A brucelose é uma doença transmitida por gado ou produtos de origem animal. Geralmente não é contagiosa entre humanos, mas pode causar febre, dor de cabeça ou nas articulações.

Um total de 3.245 pessoas testaram positivo para a bactéria, após testes realizados desde o incidente, de acordo com as autoridades de saúde em Lanzhou, a capital da província de Gansu.

As autoridades disseram que nenhum caso de transmissão de pessoa para pessoa foi detetado.

Um laboratório público da cidade usou um desinfetante fora de prazo, no verão de 2019, na produção de vacinas anti-brucelose para animais, explicaram as autoridades.

A esterilização ficou assim incompleta e as bactérias ainda estavam presentes nas emissões de gases da empresa - a Unidade Biofarmacêutica de Lanzhou para reprodução de animais.

O gás contaminado espalhou-se pelo ar, até ao Instituto de Pesquisa Veterinária, onde infetou quase 200 pessoas, em dezembro passado.

O Departamento de Saúde de Lanzhou disse na sexta-feira que a bactéria é geralmente oriunda de ovelhas, gado ou porcos.

A autorização para produção de vacinas contra a brucelose foi retirada ao laboratório e os pacientes vão receber compensações financeiras, a partir de outubro, segundo as autoridades de Lanzhou.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG