Confirmado que atentado no metro foi realizado por bombista suicida

Autoridades encontraram restos do suspeito do atentado no local da explosão

O comité que está a investigar o atentado que matou 14 pessoas na segunda-feira em São Petersburgo, Rússia, disse hoje suspeitar que o ataque terá sido provocado por um bombista suicida.

"O explosivo pode ter sido acionado por um homem cujos restos fragmentados foram descobertos na terceira carruagem" do comboio, informou o comité em comunicado, acrescentando que o homem já foi identificado, mas a sua identidade será mantida em segredo para não prejudicar as investigações.

A Interfax já tinha avançado esta informação citando fontes policiais mas a confirmação chegou esta terça-feira dos serviços de segurança do Quirguistão.

"O bombista suicida do metropolitano de S. Petersburgo era o cidadão do Quirguistão Akbarjon Djalilov, nascido em 1995, disse à agência France-Presse o porta-voz dos serviços de segurança de Bishkek, na antiga república soviética.

"É possível que ele (Akbarjon Djalilov) tenha conseguido a nacionalidade russa", acrescentou o mesmo porta-voz.

Uma bomba de fabrico artesanal explodiu na segunda-feira, no interior de um comboio entre duas estações de metropolitano, no centro de São Petersburgo.

O ataque fez 14 mortos e mais de 50 feridos, encontrando-se 49 pessoas hospitalizadas, segundo a ministra da Saúde russa.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG