Alemanha impõe confinamento local depois de surto em matadouro

A medida é aplicada ao município de Gütersloh, após um surto de covid-19 num matadouro que provocou mais de 1.500 infeções.

O governo da Renânia do Norte-Vestefália, o segundo maior estado da Alemanha e o mais populoso, decretou o confinamento do município de Gütersloh, depois de um surto de covid-19 num matadouro que provocou mais de 1.500 infeções.

O líder deste governo regional, Armin Laschet, anunciou esta terça-feira, em conferência de imprensa, que a população desta cidade deverá limitar os contactos apenas a uma pessoa de fora e aos habitantes da mesma casa.

Cinemas, ginásios e bares vão estar fechados, os jardins-infantis e as escolas já tinham fechado portas depois de conhecidas as proporções do surto num matadouro da empresa Tönnies, que provocou, até ao momento, cerca de 1.553 infetados com covid-19.

Este é o primeiro confinamento local imposto na Alemanha desde que foram anunciadas as medidas de relaxamento que devolveram ao país um regresso progressivo à normalidade.

Alemanha com mais de 190 mil infetados

Além dos trabalhadores infetados, milhares de pessoas foram colocadas em quarentena numa tentativa de travar o surto, o maior neste momento na Alemanha. As novas medidas de contenção vão vigorar, pelo menos, até ao dia 30 de junho.

De acordo com as informações das autoridades, há apenas 24 pessoas infetadas com covid-19 fora da empresa. Ainda assim, o governo quer levar a cabo um número extenso de testes de despistagem para o resto dos moradores que poderão ser feitos gratuitamente.

Aos jornalistas, Laschet lamentou que a "disposição para cooperar" da empresa Tönnies "não tivesse sido maior", mas admitiu estar confiante na contenção da propagação da covid-19.

A Renânia do Norte-Vestefália regista 41.418 casos desde o início da pandemia, e 1665 vítimas mortais.

A Alemanha regista um total de 190.862 casos diagnosticados de covid-19 e 8.895 óbitos.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 469 mil mortos e infetou mais de 9 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG