"Achou que era uma fraude". Foi a uma festa da covid e morreu. Tinha 30 anos

Diretora clínica do Hospital Metodista de San Antonio, no Texas, onde o homem morreu, alertou que os pacientes jovens não costumam dar-se conta de quão doentes estão.

Um americano na faixa dos 30 anos morreu no Texas de coronavírus após se contagiar numa "festa da covid", organizada por uma pessoa infetada, informou a diretora médica do hospital onde o jovem faleceu.

"A ideia da festa é reunir-se para ver se o vírus é real e se alguém contrai o vírus", explicou Jane Appleby, diretora clínica do Hospital Metodista de San Antonio.

Um dos convidados da festa ficou contagiado. A saúde dele começou a deteriorar-se até precisar de ser hospitalizado e acabar por morrer no Hospital Metodista esta semana.

Antes de morrer, o paciente disse à enfermeira que o atendia: "Acho que cometi um erro". "Ele achou que esta doença era uma fraude. Ele achou que era se jovem e invencível e não seria afetado pela doença", contou Appleby.

A responsável afirmou ainda que pacientes jovens não costumam dar-se conta de quão doentes estão. "Eles realmente não parecem doentes. Mas quando verificamos os seus níveis de oxigénio e fazemos testes laboratoriais, eles realmente estão mais doentes do que aparentam", acrescentou, alertando as pessoas para levarem a sério os riscos.

"Nenhum de nós é invencível", advertiu, indicando que vários pacientes de 20 a 30 anos estão internados no mesmo hospital com complicações relacionadas com o novo coronavírus.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG