Acaba no hospital com ímanes no nariz após tentar criar colar anticoronavírus

Astrofísico australiano queria inventar um aparelho anti-contágio, que evitasse que as pessoas tocassem na cara, e acabou com ímanes agarrados ao nariz.

O astrofísico australiano Daniel Reardon foi hospitalizado com ímanes "colados" ao nariz após tentar inventar um colar anticoronavírus.

Investigador na Universidade Swinburne, de Melbourne, Daniel Reardon decidiu usar o tempo do confinamento pela pandemia da covid-19 para fabricar um dispositivo que deveria emitir um sinal sonoro, quando o seu utilizador aproximasse a mão da boca.

"Era a mesma lógica de usar brincos de mola nas orelhas. Coloquei os imanes nas minhas orelhas e dois numa narina e as coisas escalaram muito rápido quando meti outros dois na outra narina", contou em entrevista à emissora pública de televisão ABC.

Tudo acabou mal. "Comecei, como um idiota, a ficar com o rosto cheio de ímanes", objetos que provocam um campo magnético à sua volta e que são uma peça-chave da sua "invenção".

"Comecei com o lóbulo da orelha e segui com as narinas", acrescentou. "Os ímanes de cada narina atraíram-se e criaram uma pinça no meu septo nasal", completou.

Daniel Reardon tentou, durante uma hora, retirar os imanes, até que a sua companheira, uma radiologista, conseguiu convencê-lo a ir ao Hospital de Melbourne, onde trabalha.

Reardon disse que de momento "passa bem" e não sofreu qualquer dano irreversível.

O astrofísico disse que não tenciona "voltar a testar" um dispositivo com imanes, mas não desistiu da criação de um colar "anticontágio".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG