52 milhões de euros para estudante que sofreu queimaduras na aula de química

A cidade de Nova Iorque, nos Estados Unidos, foi condenada a indemnizar um jovem que sofreu queimaduras graves durante uma experiência numa aula de química, em 2014

Um júri de Manhattan determinou que Alonzo Yanes, agora com 21 anos, deverá receber cerca de 26 milhões de euros, pela dor e sofrimento dos últimos cinco anos, e outros 26 milhões para a sua reabilitação futura.

Yanes, com 17 anos na altura do incidente, sofreu queimaduras do terceiro grau em mais de 30% do corpo, incluindo no rosto, braços e mãos, quando foi atingido pela explosão de material que estava a ser utilizado na experiência. Teve de se submeter a várias operações de enxerto de pele.

De acordo com o processo, a experiência incluiu a manipulação de minerais salinos e metanol e foi realizada apesar das advertências da Secretaria de Educação da cidade. O porta-voz do Departamento Jurídico da cidade, Nick Paolucci, informou que, na sequência do caso, a experiência deixou de ser praticada nas escolas da cidade.

O advogado do jovem sublinhou que esta indemnização "ajudará Yanes a continuar a fazer tratamentos, potencialmente uma cirurgia plástica" mas "não pode consertar o passado". "Escusado será dizer que os ferimentos sofridos por Alonzo foram horríveis. Foram uma mudança de vida e, infelizmente, desfiguradores."

Exclusivos