30 províncias de Espanha aumentam contágios e uma faz fronteira com Portugal

No último mês, aumentaram os casos e os internamentos por covid-19 em pelo menos 30 das 52 províncias de Espanha.

Os casos positivos de coronavírus voltaram a subir em Espanha. Os internamentos aumentaram e os positivos dispararam, passando de 250 novos casos diários em junho para mais de 1 500 casos por dia nesta semana. O regresso do vírus é generalizado, como mostra o mapa publicado este sábado no jornal El Pais: os casos estão a aumentar em pelo menos 30 das 52 províncias espanholas.

É importante, no entanto, não comparar os valores absolutos com os de março ou abril, sublinha o jornal. Neste momento a deteção da doença é muito mais eficaz e existe conhecimento de uma percentagem maior das infeções na população. Assim, é lógico que a proporção de casos graves agora seja menor. No entanto, é preciso ficarmos atentos porque, como explica Ignacio Rosell, especialista em saúde pública, "se o vírus entrar em lares de idosos ou se espalhar entre pessoas vulneráveis, é claro que os casos graves aumentarão".

Há mais pessoas que testam positivo - o que significa que o vírus se está a espalhar. No entanto, as técnicas de identificação e monitorização dos contactos quase não melhoraram nestes meses, o que torna mais difícil o rastreamento e a contenção da infeção. Esta é uma das críticas feitas pelos especialistas, como Helena Legido-Quigley, professora associada da Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres: "A maioria das comunidades não preparou os seus programas de monitorização de infeções. A ideia de ficar confinado também era dar-lhes tempo para se prepararem. Mas muitos não fizeram o trabalho de casa ".

Legido-Quigley também questiona as decisões do Ministério da Saúde: "Não entendo como o governo permitiu que as comunidades não tivessem esses sistemas a funcionar". Seguir os contactos das pessoas infetadas, testá-las, isolá-las e acompanhá-las: isto é algo que os países asiáticos fazem desde o início da pandemia, sublinha esta especialista. No entanto, em Espanha, as equipas de rastreamento parecem ser insuficientes. Em muitas comunidades, há menos de um técnico de rastreamento para cada 10 mil habitantes, quando em países como a Alemanha o limite é de um para cada 4 mil.

Na Estremadura, onde 11 novos surtos foram registados desde o final do estado de alarme, os casos cresceram especialmente em Badajoz (região fronteiriça com Portugal), com uma incidência média na semana passada de 23 positivos por milhão de habitantes.

Na Catalunha existem surtos conhecidos na região de Lleida, na região metropolitana de Barcelona e no município de Girona, em Figueres. A Generalitat já aplicou restrições sociais para conter a propagação do vírus, incluindo a mobilidade (na cidade de Lleida e em outros seis municípios vizinhos). Em Barcelona, o governo reconhece que há transmissão da comunidade. Na capital e em 13 outros municípios fortes restrições foram impostas para tentar conter o vírus: as praias têm limitações de capacidade; a vida noturna está fechada; os eventos culturais e desportivos estão suspensos e não são permitidos ajuntamentos com mais de 10 pessoas.

Além destas, também Aragão, Galiza e País Basco continuam a preocupar bastante as autoridades.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG