ISCTE vai selecionar 50 profissionais para os centros de emergência de Lisboa

O ISCTE vai recrutar cinquenta profissionais que vão acompanhar as necessidades sociais dos utentes dos centros de emergência criados pela Câmara de Lisboa.

Os contratados irão auxiliar pessoas em situação vulnerável, como os sem-abrigo, durante a pandemia da covid-19. De acordo com comunicado do Instituto Universitário de Lisboa a que o DN teve acesso, a colaboração entre as duas instituições é formalizada esta sexta-feira prevendo que os contratos de trabalho tenham entre três a seis meses. As candidaturas podem ser feitas através de um formulário no site da Instituição

Será dada preferência aos candidatos que tenham experiência de trabalho ou voluntariado com pessoas em situação de vulnerabilidade social e económica, ou que sejam estudantes ou antigos estudantes do ISCTE na área das ciências sociais e humanas.

Os escolhidos vão articular o seu trabalho com as equipas de saúde. Nas funções destes profissionais conta-se também a gestão logística necessária à concretização das finalidades sociais dos centros. Estes terão equipamento de proteção individual adequado às funções a prestar e ao risco concreto de exposição, de acordo com os procedimentos de prevenção, controlo e vigilância definidos.

Os centros de acolhimento criados pela CML "para assegurar uma resposta social aos públicos mais vulneráveis durante este período de pandemia" vão funcionar 24 horas por dia.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG