Pelo menos seis mortos e 24 feridos em tiroteio em desfile do Dia da Independência dos EUA em Chicago

Disparos interromperam desfile do Dia da Independência num subúrbio de Chicago, Illinois. Suspeito do ataque ainda não está detido.

Um tiroteio num desfile do Dia da Independência dos Estados Unidos da América em Highland Park, subúrbio da cidade de Chicago, fez pelo menos seis mortos e 24 feridos, informaram as autoridades locais em conferência de imprensa.

O município de Highland Park informou na sua página no Facebook que a polícia foi mobilizada para o local após um "incidente" no desfile do Dia da Independência, que é comemorado em 4 de julho, e que o mesmo havia sido cancelado.

A polícia disse que as autoridades ainda estão à procura do suspeito da autoria dos disparos no desfile do Dia da Independência, que terá disparado a partir de um telhado.

Os media locais estão a destacar relatos de pessoas que dizem ter visto um atirador, antes de começarem a sair do local, perante o pânico geral provocado pelo som de tiros.

O jornal Chicago Tribune refere que o governador de Illinois, o democrata Jay Robert "J. B." Pritzker estava no local.

Os media locais estão a noticiar relatos de vários corpos ensanguentados a serem transportados para hospitais.

A polícia está a dispersar civis das imediações do local do incidente.

Um vídeo feito por um jornalista do jornal Chicago Sun-Times após o tiroteio mostra um grupo musical que continua a tocar em cima de um carro alegórico, enquanto as pessoas gritam enquanto fogem do local do ataque.

Uma foto colocada nas redes sociais mostra poças de sangue perto de cadeiras colocadas no local do desfile.

A polícia está a dispersar civis das imediações do local do incidente. Várias agências policiais, incluindo o FBI e a polícia estadual de Illinois ajudaram na resposta.

A autarca de Highland Park, Nancy Rotering, condenou o tiroteio. "Num dia em que nos reunimos para celebrar a comunidade a liberdade, estamos a lamentar a trágica perda de vidas e a lutar contra o terror que surgiu", afirmou.

Já o representante da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos no desfile, Brad Schneider, deu as condolências aos familiares das vítimas, acrescentando um "Basta!".

Este tiroteio surge numa altura em que uma onda de violência armada assola os Estados Unidos, onde armas de fogo causam aproximadamente 40 mil mortes por ano, de acordo com o site Gun Violence Archive.

O debate sobre a porte de armas foi reacendido em maio após dois massacres, um num supermercado no norte do estado de Nova Iorque que resultou em dez mortes e outro numa escola primária no Texas em que 21 pessoas morreram, a maior parte crianças. No final do último mês, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, promulgou um projeto de lei que restringe as condições de acesso às armas de fogo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG