Responsável das forças de ocupação russas morto num atentado em Kharkiv

Yevgeny Yunakov, responsável da administração pró-Rússia da cidade de Veliky Burluk, morreu após a explosão de uma bomba colocada no seu carro. Um "ato terrorista"que foi cometido por um grupo de sabotadores ucranianos, disseram as autoridades da ocupação.

Um funcionário das autoridades russas que controlam parte da região de Kharkiv morreu na sequência de um atentado, divulgou esta segunda-feira a administração, num momento em que este tipo de ataques está a aumentar nas áreas ucranianas ocupadas.

Yevgeny Yunakov, responsável pela administração da cidade de Veliky Burluk, morreu após a explosão de uma bomba colocada no seu carro, adiantou a administração de ocupação, citada pela agência de notícias russa TASS.

A mesma fonte, que não especificou a data do ataque, explicou que este "ato terrorista" foi cometido por um grupo de sabotadores ucranianos que se infiltraram atrás das linhas russas.

Em 6 de julho, os 'media' estatais russos noticiaram pela primeira vez sobre a criação de uma administração de ocupação na região de Kharkiv, localizada no leste da Ucrânia e na fronteira com a Rússia.

O responsável por esta nova administração de ocupação, Vitali Gantchev, garantiu na altura que aproximadamente 20% desta região estava sob o controlo das forças russas, em particular as cidades de Izium, Volchansk e Kupyansk.

A capital regional, Kharkiv, tem resistido às forças de Moscovo há mais de quatro meses, apesar dos bombardeamentos quase diários.

O Exército ucraniano já realizou grandes contraofensivas, com algum sucesso, em redor desta cidade, que é a segunda maior da Ucrânia.

Duas outras administrações de ocupação russas foram instaladas no sul da Ucrânia, na região de Kherson e em parte da região de Zaporizhia, conquistada nos primeiros dias da ofensiva lançada em 24 de fevereiro.

Tal como nos territórios separatistas do leste da Ucrânia, o Kremlin está a conduzir uma política de 'russificação' para tentar uma possível anexação das regiões.

Moscovo introduziu a moeda russa (rublo) nestas zonas ocupadas e tem incentivado os habitantes a receberem passaportes russos.

Também esta segunda-feira o Ministério da Defesa russo reclamou a destruição de bases militares ucranianas "e de mercenários" em Kharkiv e em Chasiv Yar, esta situada na região de Donetsk.

De acordo com o porta-voz, durante o ataque foi "aniquilada" a base provisória da Brigada 118 do Exército da Ucrânia.

Konashenkov referiu-se também a ataques contra pontos de concentração de tropas ucranianos e de "combatentes estrangeiros" em dois distritos de Kharkiv.

Segundo a mesma fonte, na periferia de Kharkiv foi também destruído um "grande armazém" onde se encontravam "sistemas antitanque estrangeiros e projéteis".

No total, as forças ucranianas "perderam cerca de 550 homens" como consequência do ataque do Exército russo, disse ainda Konashenkov, apesar das informações de Moscovo não terem sido imediatamente confirmadas por fontes ou meios independentes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG