Papa critica pessoas que vão de férias para fugir às restrições da pandemia

O papa Francisco condenou este domingo as pessoas que viajam para o exterior em férias para escapar às interdições da covid-19 e disse que precisam de mostrar maior consciência sobre o sofrimento dos outros.

Na sua bênção semanal ao meio dia, o papa Francisco leu notícias de jornal sobre pessoas que decidem fazer viagens de avião para fugir às medidas do governo italiano em busca de diversão noutros lugares.

"Eles não pensaram nos que estavam em casa, nos problemas económicos de muitas pessoas que foram duramente atingidas pelo confinamento, nos doentes. (Eles pensaram) apenas em ir de férias e divertir-se ", disse o papa. "Isso realmente entristeceu-me", frisou, num discurso em vídeo a partir da biblioteca do Palácio Apostólico do Vaticano.

A bênção tradicional do Angelus é normalmente dada de uma janela com vista para a Praça de São Pedro, mas foi feita dentro de portas para evitar que qualquer multidão se reunisse e limitar a propagação do COVID-19. Além disso, o papa debateu-se nesta altura de passagem de ano com dores ciáticas que o impediram de dar as tradicionais missas de fim de ano e de ano novo, dias 31 de dezembro e dia 1 de janeiro, respetivamente.

"Não sabemos o que 2021 nos reserva, mas o que todos nós podemos fazer juntos é esforçar-nos um pouco mais para cuidar uns dos outros. Existe a tentação de cuidar apenas dos nossos próprios interesses ", acrescentou.

Muitos países impuseram restrições duras durante a época festiva para evitar a propagação do coronavírus, que matou cerca de 1,83 milhões de pessoas em todo o mundo, de acordo com a última contagem da Reuters.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG