Fabricantes de automóveis podem suspender produção em maio

O CEO da Huawei, Yu Chengdong, compartilhou previsões pessimistas para as cadeias de fornecimento industriais, devido ao confinamento de Xangai.

Os fabricantes de automóveis podem ser forçados a suspender a produção na China, em maio, devido a interrupções no fornecimento de componentes, causadas pelo bloqueio de Xangai, que enfrenta um surto de covid-19.

O alerta foi dado por He Xiaopeng, cofundador e presidente da Xpeng, um dos principais fabricantes de veículos elétricos da China, numa mensagem publicada na sua conta oficial na rede social WeChat, e citada pela imprensa local.

"Se os fornecedores dentro e ao redor de Xangai não conseguirem encontrar uma maneira de retomar as operações e a produção, todas as fábricas de veículos da China podem ter de suspender a produção em maio", previu o executivo.

O CEO do grupo tecnológico Huawei, Yu Chengdong, também compartilhou esta sexta-feira as previsões pessimistas para as cadeias de fornecimento industriais, devido ao confinamento de Xangai.

Embora destacando o impacto para o setor automóvel, ele acrescentou que todas as indústrias de tecnologia cuja cadeia de fornecimento passa por Xangai vão ser afetadas, o que geraria perdas económicas "muito altas", segundo o portal de notícias Sohu.

A "Gigafactory" em Xangai da fabricante norte-americana de veículos elétricos Tesla, que representa cerca de metade dos automóveis produzidos pela empresa a nível mundial, tem as suas operações suspensas desde 28 de março.

O primeiro trimestre "foi excecionalmente difícil devido a interrupções na cadeia de fornecimento e à política de 'zero covid' da China", explicou o CEO da Tesla, Elon Musk, no início deste mês, através da sua conta oficial no Twitter.

Xangai mantém um confinamento rigoroso desde o início do mês para tentar conter o pior surto registado na cidade desde o início da pandemia.

O surto foi causado pela variante altamente contagiosa Ómicron, que ameaça a estratégia de tolerância zero contra a covid-19 do país asiático.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG