Dois soldados russos condenados a 11 anos por bombardeamento de aldeias

Alexander Bobykin e Alexander Ivanov terão admitido em tribunal "plenamente a sua culpa" e arrependimento dos crimes de que foram acusados.

Um tribunal ucraniano condenou esta terça-feira dois solados russos a 11 anos e meio de prisão por múltiplos ataques com mísseis realizados a duas aldeias da região nordeste de Kharkiv.

Alexander Bobykin e Alexander Ivanov foram considerados culpados de "violação das leis e costumes de guerra" por terem bombardeado bairros residenciais no primeiro dia da invasão russa à Ucrânia, a 24 de fevereiro.

O julgamento dos dois homens começou em meados de maio, perto da cidade de Poltava.

De acordo com a agência de notícias ucraniana Interfax-Ukraine, os dois arguidos admitiram "plenamente a sua culpa" e afirmaram que se arrependiam dos atos cometidos.

No início do mês, um tribunal de Kiev já tinha condenado um soldado russo de 21 anos à prisão perpétua por ter matado a tiro um civil ucraniano naquele que foi o primeiro julgamento por crimes de guerra desde o início do ataque russo.

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que já matou mais de quatro mil civis, segundo a ONU, que alerta para a probabilidade de o número real ser muito maior.

A ofensiva militar causou a fuga de mais de 6,6 milhões de pessoas para fora do país, de acordo com os mais recentes dados da ONU.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG