Comportamento do primeiro-ministro Castex alvo de críticas em França

Em vários vídeos, que se encontram a circular na Internet, Jean Castex, que estou positivo à covid-19, aparece sem máscara e a apertar a mão a outras pessoas, num espaço fechado, durante um congresso que decorreu em Paris a 16 de novembro.

O primeiro-ministro francês, Jean Castex, que testou positivo à covid-19 na segunda-feira, está a ser apontado nas redes sociais como um exemplo dos comportamentos que não devem ser adotados durante a pandemia.

Em vários vídeos, que se encontram a circular na Internet, Jean Castex aparece sem máscara e a apertar a mão a outras pessoas, num espaço fechado, durante um congresso que decorreu em Paris em 16 de novembro.

Este comportamento vai contra a posição oficial da França, que instou a população a manter as medidas de proteção individual face ao aumento de infeções devido ao vírus SARS-CoV-2, noticia a agência AP.

Os críticos de Castex assinalam ainda que o governante apelidou o território francês de Guadalupe como "irresponsável" na adoção de medidas contra a covid-19, quando o próprio não cumpriu as regras.

O gabinete do primeiro-ministro considerou que esta questão está a ser explorada com fins políticos e que Castex procura "respeitar as regras o máximo possível".

Vários ministros em isolamento

O primeiro-ministro francês deu na segunda-feira positivo ao novo coronavirus, informou o governo de Paris, adiantando que o chefe do Executivo já estava em isolamento, devido a uma das filhas estar infetada.

Ao regressar, ao início da tarde de segunda-feira, da Bélgica, onde se reuniu com o seu homólogo Alexander De Croo, Castex soube que uma das suas filhas, de 11 anos, tinha testado positiva.

Castex está vacinado desde a primavera, mas a sua filha não recebeu a vacina porque estas ainda não estão aprovadas na União Europeia (UE) para menores de 12 anos, embora a autorização seja esperada esta semana.

O teste positivo do primeiro-ministro fez com que vários outros ministros franceses estejam em isolamento enquanto aguardam o resultado do teste, incluindo o ministro francês responsável pela diplomacia externa, Clement Beaune, que inclusive apagou uma imagem publicada na rede social Instagram onde aparecia sorridente com Castex sem máscara.

Segundo os especialistas, o comportamento de Castex é indicativo da quebra na vigilância perante o aumento da taxa de vacinação em França.

O porta-voz do governo francês, Gabriel Attal, saiu em defesa do governante, após os vídeos começarem a circular nas redes sociais. "Somos todos humanos", atirou.

O teste positivo do primeiro-ministro representa um potencial constrangimento para o Governo francês e o Presidente Emmanuel Macron, tendo em vista as eleições presidenciais de abril.

Jean Castex desenvolveu uma tosse leve durante a noite, mas mantém a intenção de continuar a trabalhar durante o isolamento, segundo revelou fonte do seu gabinete esta terça-feira.

Sobre o comportamento do governante durante o evento de 16 de novembro, a mesma fonte realçou que Castex lavou as mães com desinfetante entre cada aperto de mão.

E acrescentou que a entrada do evento estava condicionada à apresentação de um certificado de vacinação ou de recuperação, ou um teste negativo.

França regista um aumento no número de infeções, hospitalizações e mortes devido à covid-19

Este mês a ministra do Trabalho, Elisabeth Borne, já tinha alertado contra a complacência, reconhecendo que as "medidas de proteção estão a ser menos respeitadas".

França regista um aumento no número de infeções, hospitalizações e mortes devido à covid-19 nas últimas semanas e o Governo tem intensificado o apelo à utilização do certificado sanitário e à vacinação da população com uma terceira dose de reforço.

A covid-19 provocou pelo menos 5 156 563 mortes em todo o mundo, entre mais de 257,51 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência AFP

A doença é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG