China prolonga pelo 6º dia consecutivo exercícios militares ao redor de Taiwan

Taiwan iniciou esta terça-feira mais um dia de exercícios militares de defesa da ilha contra um possível ataque chinês, utilizando também fogo real, como forma de resposta.

O Exército chinês anunciou que vai prolongar pelo sexto dia consecutivo os exercícios militares que está a realizar em redor de Taiwan, como retaliação pela visita à ilha da líder do Congresso norte-americano, Nancy Pelosi.

Em comunicado, o Exército de Libertação Popular indicou que "vai continuar a organizar manobras conjuntas, orientadas para o combate pelas vias marítima e aérea", que se vão focar em "operações de contenção e segurança conjunta".

As manobras que Pequim iniciou na quinta-feira incluíram o uso de fogo real e o lançamento de mísseis de longo alcance, e foram descritas pelo governo de Taiwan como "irresponsáveis", além de suscitarem preocupação na comunidade internacional.

Em resposta, Taiwan iniciou hoje exercícios militares de defesa da ilha contra um possível ataque chinês, utilizando também fogo real.

China e Taiwan vivem como dois territórios autónomos desde 1949, altura em que o antigo governo nacionalista chinês se refugiou na ilha, após a derrota na guerra civil frente aos comunistas. No entanto, Pequim considera Taiwan parte do seu território, e não uma entidade política soberana, e ameaça usar a força caso a ilha declare independência.

A China descreveu a visita de Pelosi como uma "farsa" e "traição deplorável".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG