China avança com testes covid por via anal

As autoridades chinesas estão a administrar testes anais num momento em que há novos surtos no país onde o novo coronavírus foi detetado pela primeira vez.

As autoridades chinesas estão a impor testes anais aos habitantes, alegando que a sua eficácia é maior do que os esfregaços nasofaríngeos, informação confirmada pela estação CCTV. Há quatro dias o jornal estatal em inglês Global Times havia avançado com a possibilidade depois de uma experiência numa escola de Pequim que abrangeu mil professores, funcionários e alunos.

Os testes, que estão a causar controvérsia entre os chineses, começam a ser realizados numa altura em que as autoridades estão a braços com vários surtos regionais de novos casos de covid e relatos de filas gigantescas para realização de testes.

Segundo a CCTV, moradores de vários bairros de Pequim onde foram descobertos casos recentemente foram submetidos a testes por via anal e a medida também está a ser imposta a pessoas em quarentena obrigatória em hotéis, incluindo viajantes vindos do exterior.

Os testes também estão a ser realizados noutras cidades e já surtem efeito, segundo as autoridades. Um esfregaço na garganta de um homem de 52 anos em Weinan, uma cidade na província de Xianxim, mostrou resultado negativo após a pessoa ter apresentado sintomas como tosse e perda de apetite, mas o teste deu positivo usando esfregaços no nariz e no ânus, disse um funcionário daquela cidade em conferência de imprensa, segundo a Reuters.

Segundo Li Tongzeng, do Hospital You' an de Pequim, o método dos esfregaços anais "pode aumentar a taxa de deteção de pessoas infetadas", pois os vestígios do vírus permanecem mais tempo no ânus do que no trato respiratório, disse à CCTV.

A opinião sobre este método não é unânime num país pouco dado a divergências. Yang Zhanqiu, vice-diretor do departamento de biologia patogénica da Universidade de Wuhan, afirmou ao Global Times que os testes mais eficientes continuam a ser os esfregaços nasais e na garganta, uma vez que o vírus é contraído através do aparelho respiratório superior e não no sistema digestivo.

As pessoas já sujeitas ao teste e outras que não estão interessadas em sê-lo começaram entretanto a desabafar no Weibo, a popular rede social chinesa semelhante ao Twitter.

"Baixo sofrimento, mas humilhação extrema", comentou um utilizador. "É uma sorte eu ter regressado mais cedo à China", escreveu outro.

Outros usaram o humor: "Fiz dois esfregaços anais, cada vez que fiz um, tive de fazer um esfregaço na garganta depois. Tinha medo que a enfermeira se esquecesse de usar um novo esfregaço."

Com o aproximar do período de festas do Ano Novo Lunar e com novos surtos em várias províncias que levaram a novos confinamentos na província de Hebei e em parte de Pequim, as autoridades apertaram a malha. Na capital ficam impedidas de entrar pessoas vindas de áreas de médio ou alto risco.

Os viajantes chegados ao país devem ter múltiplos resultados negativos nos testes e quarentena durante pelo menos 14 dias num hotel designado à chegada, com muitas cidades e regiões a imporem requisitos adicionais de observação domiciliária.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG