Cantor de rock russo Iuri Shevchuk foi multado por criticar o Kremlin

O caso remonta a 18 de maio, quando o cantor de 65 anos disse à plateia que assistia um dos seus concertos, que a "pátria não significa ser um lambe-botas constante do presidente".

O músico russo Yuri Shevchuk foi esta terça-feira multado na Rússia depois de ter criticado a invasão russa da Ucrânia e o presidente Vladimir Putin durante um concerto, avançou um tribunal russo.

Um tribunal da cidade de Ufa, na região centro da Rússia, considerou o líder da famosa banda de rock russa DDT culpado de uma "ação pública destinada a desacreditar as forças armadas russas" e multou-o em 50 mil rublos (aproximadamente 800 euros), segundo o serviço de imprensa do tribunal.

O caso remonta a 18 de maio, quando o cantor de 65 anos disse à plateia que assistia um dos seus concertos, que a "pátria não significa ser um lambe-botas constante do presidente" - um momento que foi captado e divulgado por vários vídeos colocados 'online'.

"Agora há pessoas a serem mortas na Ucrânia, porquê? Os nossos rapazes estão a morrer na Ucrânia, porquê?", perguntou o cantor à multidão no mesmo dia.

"Os jovens da Ucrânia e da Rússia estão a morrer por causa dos planos napoleónicos do nosso César", acrescentou, referindo-se ao Presidente russo, Vladimir Putin.

Apesar de Shevchuk ter sido multado, o direito penal russo prevê penas de prisão que podem ir até aos cinco anos para infrações repetidas e agravadas.

O cantor, que não compareceu em tribunal por estar em quarentena devido à covid-19, enviou uma declaração escrita através do seu advogado Alexander Peredruk, na qual salientou que "sempre foi contra a guerra, em qualquer país e em qualquer altura".

"Todos os problemas e dificuldades de natureza política entre países e povos devem ser resolvidos através de meios diplomáticos", insistiu.

Não é a primeira vez que Shevchuk critica o controlo de Putin durante os seus mandatos, tendo em conta que em 2010 chegou mesmo a confrontar o chefe de estado durante uma emissão televisiva.

O cantor foi também um dos grandes impulsionadores de um movimento de protesto maciço que aconteceu na Rússia em 2011 e 2012, depois abafado pelo Kremlin.

Antes de Putin, Yuri Shevchuk protestou também contra a primeira guerra chechena, entre 1994 e 1996.

Depois de começar a sua carreira na década de 1980, a última da URSS, Shevchuk ganhou popularidade com as suas canções antissistema no império dominado pela crise.

Na queda da URSS, em 1991, Shevchuk já era considerado uma figura do rock russo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG