Premium A epidemia de gripe na China pode contaminar a economia mundial?

A segunda economia do mundo vai ressentir-se do surto do coronavírus, que já pôs de quarentena 60 milhões de pessoas e está a afetar a atividade económica do país. Implicações para a economia mundial vão depender da propagação e da duração do surto. A OMS declarou ontem o coronavírus como uma "emergência de saúde pública internacional".

Sessenta milhões de pessoas em quarentena. A atividade económica praticamente parada numa província que representa 4,5% do produto interno bruto chinês. Feriados prolongados. Viagens canceladas. Pontos turísticos encerrados, cinemas fechados, centros comerciais vazios. Por estes dias, a segunda maior economia do mundo tenta conter a propagação do coronavírus, um novo tipo de vírus da gripe que já contagiou mais de 7700 pessoas e matou 170.

Que impacto pode ter este surto na economia chinesa e, por decorrência, a nível global? O Fundo Monetário Internacional (FMI) veio ontem pronunciar-se, afirmando que as consequências do coronavírus para a economia mundial dependem sobretudo da duração da epidemia. O organismo diz estar a acompanhar e a "examinar os indicadores económicos em tempo real", mas restringe para já os efeitos à economia chinesa.

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG