Premium Helle Thorning-Schmidt: "Cumprirei sempre o meu dever como europeia"

A social-democrata, de 52 anos, Helle Thorning-Schmidt foi a primeira mulher à frente de um governo dinamarquês. Acabada de sair da administração da ONG Save the Children, deixa a porta aberta para um cargo de topo na UE. O DN entrevistou-a na Gulbenkian, em Lisboa, à margem da conferência anual do European Council on Foreign Relations.

Está na corrida para um cargo europeu?
Não me cabe a mim decidir. Sou europeia, fui uma primeira-ministra pró-europeia e considero-me não só qualificada, porque trabalho em instituições europeias há duas décadas, mas também porque acredito que nenhum dos problemas se resolve sem mais integração europeia. Seja as alterações climáticas, seja as questões de segurança e de cibersegurança, seja regular as empresas tecnológicas, todas estas questões só se podem enfrentar se trabalharmos juntos na União Europeia. Acredito nisso com toda a convicção e, claro, cumprirei sempre o meu dever como europeia para avançarmos.

Portanto, não se retirou da política?
Nunca me cansarei de falar de política europeia. É uma paixão na qual acredito. Os europeus têm de trabalhar juntos se queremos enfrentar as grandes questões que os nossos cidadãos querem ver resolvidas.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.