O regresso do drive in: assistir a filmes e concertos dentro do carro

Todos juntos mas cada um no seu carro: esta é a solução de vários promotores culturais para responder às restrições da covid-19. Neste verão o drive in estará outra vez na moda.

Era uma coisa fora de moda. Os cinemas drive in viveram a sua época áurea nas décadas de 1950 e 1960 e para muitos de nós nunca passaram de uma daquelas coisas que víamos nos filmes antigos (como por exemplo em Grease - Febre de Sábado à Noite) mas que nunca de facto experimentámos. Com tantas maneiras de ver um filme em casa, hoje, porquê ir a um cinema em que se fica no carro, num grande parque de estacionamento, e o filme passa numa tela gigante à nossa frente?

Pois a pandemia de covid-19 trouxe a resposta a esta pergunta: os drive in são uma maneira segura de sair de casa para ver um filme (ou assistir a outro espetáculo), mantendo a distância em relação às outras pessoas. Dentro do carro, por detrás dos vidros, há uma sensação de segurança, ao mesmo tempo que se experimenta um momento de lazer e em comunidade. Não admira por isso que um pouco por todo o lado, da Austrália aos EUA, passando pela Lituânia ou pela Alemanha, os drive in estejam a renascer. E também em Portugal.

Depois de algumas primeiras experiências nas últimas semanas, a programação em drive in para os dias e noites de calor começa a ficar composta.

Magia no parque de estacionamento

O ilusionista Luís de Matos decidiu aproveitar o facto de já ter um espaço - o Estúdio 33, em Ansião, no distrito de Leiria - para preparar o espetáculo Luís de Matos Drive -in, com estreia marcada (e já esgotada) para o dia 5 de junho. Este é um one man show, desenhado para acontecer no parque de estacionamento, com várias sessões pelo menos durante o mês de junho.

Cada viatura paga 50 euros, independentemente do número de passageiros, para entrar num enorme recinto (dez mil metros quadrados), onde os carros se alinham em frente do palco.

A organização garante que o espetáculo "recorre à mais moderna tecnologia em matéria de áudio, vídeo e comunicação wireless, no absoluto respeito de todas as medidas de segurança exigidas no momento que estamos a viver. As famílias chegam, sintonizam a frequência rádio indicada, participam e regressam a suas casas sem nunca sair das viaturas, numa mistura única de procedimentos e criatividade que permitem experienciar algo de único, especial e inesquecível".

Buzinadelas em vez de aplausos

O músico Pedro Abrunhosa foi o primeiro a testar o formato de concerto em drive in no Estúdio 33, em Ansião, no passado dia 23. Vale a pena ver os vídeos que o músico publicou na sua conta do Instagram para perceber como tudo aconteceu:

As janelas podem estar abertas ou fechadas, já que a música passa no autorrádio. Os espectadores devem manter-se no interior das viaturas, o pedido de comida ou bebida é feito através de uma aplicação de telemóvel, que também é usada para pedir autorização para ir à casa de banho. No sábado, o público nem sempre se manteve na sua viatura, houve quem se sentasse às janelas e quem dançasse em cima do carro, mas houve bastante distanciamento.

Além dos aplausos, houve buzinadelas e muita gente a cantar com Pedro Abrunhosa, no evento que foi considerado um sucesso. De tal forma, que já há mais espetáculos agendados para aquele espaço nos mesmos moldes: Nilton (6 de junho), Pete Tha Zouk (12 de junho), Noble (19 de junho) e Mário Mata (26 de junho).

Concertos lá dentro, espectadores cá fora

Na Fábrica de Braço de Prata, em Lisboa, os concertos em formato drive in começaram já há duas semanas e acontecem agora de quarta a sábado em moldes bastante peculiares: o concerto acontece dentro da Fábrica mas é transmitido em direto e projetado na parede, enquanto isso os espectadores estão instalados nos seus carros, no parque de estacionamento,

O espaço é limitado por isso convém reservar o seu lugar. O consumo mínimo obrigatório é de 5 euros e até se pode jantar.

"Na segurança (e intimidade) dos nossos carros podemos, finalmente, sair de casa para um programa de fim de noite com amigos, ou para um jantar e concerto românticos, sem pôr em risco nenhum esforço de distanciamento social. E com aquele aroma de nostalgia que tanto adoramos", explica-se no site da Fábrica de Braço de Prata.

Filmes no jardim de Oeiras

"Com o objetivo de devolver alguma felicidade às pessoas e contribuir para dinamizar o regresso à normalidade social, cultural e económica de forma segura e consciente", a City Conventions in the Yard, decidiu organizar o Drive in Comic Con Portugal Sessions, um conjunto de sessões de cinema, que vão decorrer de 1 a 7 de junho, a partir das 20.00 no Jardim Municipal de Oeiras.

Todas as noites há filmes diferentes - a começar com O Meu Espião, de Peter Segal, e passando por filmes tão diversos como Parasitas, de Bong Joon-oh, último vencedor do Óscar de Melhor Filmes, ou Homem-Aranha: Longe de Casa, de John Watts.

A entrada é gratuita mas é necessário reservar o lugar através do site do evento e esperar para receber a confirmação. "Após a entrada, os participantes devem estacionar e posicionar o automóvel no local indicado, sintonizar a frequência e assistirem aos conteúdos que irão passar no ecrã gigante, no conforto e segurança da sua viatura", explica a organização

Avanca: festival de cinema ao ar livre

A organização do Festival de Cinema AVANCA 2020 vai comemorar a reabertura das salas de cinema com um "Mini Drive-In", que servirá também de teste ao novo formato do festival, a realizar em julho. O evento, que decorrerá na noite de domingo para segunda-feira, dia para a reabertura das salas de cinema, na Ribeira do Mourão, em Avanca, um braço da ria de Aveiro, terá início às 00:05 e marcará o início das atividades do festival que decorre oficialmente a 18, 22 e 26 de julho.

Em julho vai ser possível ir de carro assistir aos filmes do 24.º Festival Internacional de Cinema AVANCA 2020, que este ano será transformado num ciclo de cinema "Drive-In", que irá acontecer em diversos espaços de Avanca e do concelho de Estarreja.

Drive in também para o futebol

A Câmara Municipal do Porto vai transformar o espaço do Queimódromo num drive in onde será possível assistir a várias atividades e também a alguns jogos de futebol, que vão recomeçar a 3 de junho.

"Pareceu-nos interessante discutir [com Pedro Proença, presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional] a matéria que estava a ser tratada para outros fins, que é a instalação de um "drive-in" no Queimódromo. Temos vindo a trabalhar com outros operadores no sentido de ter esse espaço para outros fins, como culturais e cinema. Era interessante poder oferecer essa valência aos adeptos, no Porto", revelou esta semana o presidente da câmara, Rui Moreira.

"Temos um jogo que entusiasma desportivamente, mas que preocupa, que é um FC Porto-Boavista na noite de São João. Gostaríamos que os adeptos convivessem em tranquilidade, com todas as normas de segurança, sem estarem fechados num café", disse.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG