Premium Diretores dizem que não há tempo para dois semestres escolares já em 2019-20

Nas duas principais associações de diretores, há quem veja vantagens na mudança e quem não as veja. Mas há acordo em relação aos prazos apertados para implementar esta mudança já no próximo ano letivo.

O Ministério da Educação autorizou as escolas a organizar o ano escolar em dois semestres - em vez de três períodos - a partir do próximo ano letivo, abrindo a porta à generalização de uma medida que em 2018-2019 foi testada apenas num grupo restrito de estabelecimentos. Mas os presidentes das duas associações de diretores não acreditam que a adesão a este modelo seja significativa no próximo ano letivo. Desde logo por falta de tempo para preparar a mudança.

"A portaria saiu na semana passada", lembra Filinto Lima, da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP). "E só por esse facto, é difícil. Esta é uma medida inserida num plano de inovação, a que se refere a portaria, e tem de ser bem maturada", acrescenta. "Se calhar, no próximo ano letivo, aquelas escolas, que não são muitas, que já estão a pensar no âmbito da autonomia e da semestralidade, poderão propor esse plano ao Ministério da Educação. Mas em relação às outras, que só agora começaram a pensar nesta situação, acho que é prematuro."

Ler mais