Rock no Natal e uma passagem de ano com circo

Para desenjoar dos fritos e do bolo-rei, aqui ficam algumas sugestões de programas culturais para fazer por estes dias com toda a família.

Fantasia com a Orquestra Gulbenkian

Fantasia, o filme de Walt Disney, de 1940, é tão conhecido pelo facto de ter como protagonista o rato Mickey como pela sua banda sonora: o maestro Leopold Stokowski escolheu peças orquestrais de alguns dos maiores compositores clássicos e que aqui se articulam na perfeição com a história e com as imagens. São elas: Tocata e Fuga em Ré Menor, de Bach; Suíte Quebra-Nozes, de Tchaikovsky; O Aprendiz de Feiticeiro, de Paul Dukas (provavelmente o segmento mais conhecido do filme, quando Mickey dá vida a uma série de vassouras); Sagração da Primavera, de Tchaikovsky; Sinfonia Pastoral, de Beethoven; Dança das Horas, de Amilcare Ponchielli; Uma Noite no Monte Calvo, de Mussorgsky; e Ave Maria, de Schubert. No original, as peças foram interpretadas pela Orquestra de Filadélfia. Aqui, o filme será exibido na tela do Grande Auditório enquanto a música é interpretada ao vivo pela Orquestra Gulbenkian dirigida pelo maestro Nuno Coelho.

Fantasia
Filme de Walt Disney Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa
sábado, 19.00 e domingo, 18.00
Bilhetes: de 18 a 39 euros

Duas exposições de Paula Rego

A artista portuguesa Paula Rego foi recentemente distinguida com um prémio de carreira pela revista norte-americana Harpers Bazaar: "Durante sete décadas, a artista tem vindo a fazer uma revolução silenciosa usando o poder visceral das suas pinturas subversivas", justifica. Não há desculpa para não conhecer a obra desta artista de 84 anos: ela pode ser vista neste momento no Museu de Serralves, no Porto, e na Casa das Histórias, em Cascais

Exposições de Paula Rego
Paula Rego: O Grito da Imaginação
Fundação de Serralves, Porto
Até 19 de janeiro
Bilhetes: 10 a 20 euros

Desenhar, Encenar, Pintar
Casa das Histórias, Cascais
Até 24 de maio
Bilhetes: 2,5 a 5 euros
Natal com rock"n"roll

A tradição já é antiga. Nos anos 90, quando ainda fazia parte dos Tédio Boys, o músico Paulo Furtado já tinha por hábito dar um concerto natalício em Coimbra, a sua cidade. Também chegou a fazê-lo no Porto e, desde 2001, já como Legendary Tigerman, é na Galeria Zé dos Bois que acontecem estes concertos, sempre na noite de 25 de dezembro, com o título Fuck Christmas, I Got the Blues. Começaram por ser para os que passam essa noite sozinhos e deprimidos mas, agora, já é uma festa. "Na noite de Natal, o rock "n"roll volta a descer à Terra para aquecer o coração aos solitários. Com as ruas vazias e os espíritos dominados por sentimentos confusos (alívio, paz, depressão, melancolia, tédio), não há nada como o estrépito do som das guitarras e a ameaça de uma voz tecida nas imagens da América profunda. Música fantasiosa para libertar da fantasia", pode ler-se na página do Facebook.

Fuck Christmas, I Got the Blues
Concerto de The Legendary Tigerman
Galeria Zé dos Bois, Lisboa
25 de dezembro, 23.00
Bilhetes: 6 euros

Nada é impossível para Luís de Matos

Depois do sucesso do ano passado, o mágico Luís de Matos regressa com uma nova versão do espetáculo Impossível ao Vivo. Em palco, além do português, estão também o inglês James More, o sul-coreano An Halim, campeão do mundo na modalidade de manipulação de cartas, o alemão Topas, o australiano Raymond Crowe e os Momentum Crew (grupo de breakdance), além da sua assistente, Joana Almeida.

Impossível ao Vivo
Espetáculo de magia de Luís de Matos
Teatro Tivoli, Lisboa
Até 5 de janeiro
De quinta a sábado às 21.30, domingo às 17.00
Dias 25 de dezembro e 1 de janeiro às 18.00
Sessões especiais: 29 de dezembro às 11.00, 2 de janeiro às 21.30 e 4 de janeiro às 17.00
Bilhetes: de 12,50 a 24 euros

O Quebra-Nozes ou a magia do Natal

Baseado no conto O Quebra-Nozes e o Rei dos Ratos, de E.T.A. Hoffman, o bailado O Quebra-Nozes conta a história de uma menina, Clara, que se apaixona pelo Soldado Quebra-Nozes. Com coreografia de Mehmet Balkan, "segundo Marius Petipa", e música de Tchaikovski, o espetáculo da Companhia Nacional de Bailado conta com a Orquestra Sinfónica Portuguesa, com direção musical de Pedro Neves, e o coro da Academia de Amadores de Música, sob a direção do maestro Vítor Paiva.

O Quebra-nozes
Bailado da Companhia Nacional de Bailado
No Teatro Camões, Lisboa, até domingo
Bilhetes: de 5 a 25 euros
No Teatro Municipal Joaquim Benite, Almada
28 e 29 de dezembro: 25 euros

Circo no cimo da serra de Monchique

Depois do sucesso das três edições anteriores, o projeto Lavrar o Mar continua a apostar numa passagem de ano com novo circo, no heliporto de Monchique. E, desta vez, a proposta é mais ambiciosa: em vez de um só, há dois espetáculos em duas tendas diferentes. O primeiro, Les Dodos, inspira-se nessa ave que não sabia voar e acabou por se extinguir. A grande particularidade deste espetáculo da companhia francesa Le P"tit Cirk é que eles usam guitarra, violinos e contrabaixos não só para tocar mas também nos vários números de acrobacia. O segundo espetáculo, Forever, Happily..., da companhia belga Collectif Malunés, faz uma desconstrução dos mais conhecidos contos infantis, desde a Branca de Neve ao Capuchinho Vermelho, passando pela Pequena Sereia.

Lavrar o Mar
Heliporto de Monchique
de 27 de dezembro a 5 de janeiro (exceto dia 2)
Les Dodos, às 18.00
Forever, Happily..., às 21.30
Bilhetes: de 5 a 12 euros (para cada espetáculo)

O groove de Marta Ren

A cantora Marta Ren, "rainha da soul & funk", planeou um concerto original para esta época festiva: vai interpretar as suas músicas acompanhada pela Orquestra de Jazz de Matosinhos, em plena Avenida dos Aliados, no Porto. Serão 17 músicos em palco, dirigidos pelo maestro Pedro Guedes, a dar um novo som aos temas do primeiro disco de Marta Ren, Stop, Look, Listen, e ainda revisitando alguns clássicos do cancioneiro americano.

Concerto de Marta Ren
Avenida dos Aliados, Porto
28 de dezembro, 22.00. Entrada livre

Passar o ano com Ricardo III

O Teatro Nacional D. Maria II propõe uma despedida de 2019 ou que entremos em 2020 com um espetáculo de teatro. "Para celebrarmos o poder fulgurante da palavra e da possibilidade de estarmos juntos, no teatro", lê-se no programa. A tragédia de Shakespeare Ricardo III chega-nos pelas mãos da companhia Schaubühne, de Berlim, com encenação de Richard Ostermeier. No papel principal está o ator Lars Eidinger. A peça retrata a ascensão maquiavélica de Ricardo III, rei de Inglaterra que viveu entre 1452 e 1485, e a sua eminente queda: "Ostermeier cobre-lhe as deformidades de artefactos ortopédicos, microfones e outras próteses, e faz a cena pulsar ao ritmo da bateria, dos confetti e da lama, numa proximidade com a plateia assinalada desde o início do espetáculo."

Ricardo III
Espetáculo de Richard Ostermeier
Teatro Nacional D. Maria II, Lisboa
dia 31 de dezembro, 18.00
2 e 3 de janeiro, 19.00

O cortejo do Cirque du Soleil

Também já está a tornar-se uma tradição começar o ano novo com um espetáculo do Cirque du Soleil. Desta vez, a companhia canadiana traz Corteo - palavra italiana que quer dizer cortejo. Serão 51 acrobatas, músicos, cantores e atores em palco. Criado por Danièle Finzi Pasca, este espetáculo estreou-se em Montreal em formato tenda, em abril de 2005, e desde então já foi visto por mais de nove milhões de pessoas em 19 países de quatro continentes.

Corteo
Espetáculo do Cirque du Soleil
Altice Arena, Lisboa, de 2 a 12 de janeiro
de quinta a sexta, 21.30, sábado e domingo, 17.00 e 21.30 Bilhetes: de 37 a 75 euros

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG