Premium  Montenegro e Pinto Luz tentam encostar Rio ao PS para se demarcarem

Os estilos foram muito diferentes, mas o objetivo o mesmo. Luís Montenegro e Miguel Pinto Luz encostaram Rui Rio ao PS para se demarcarem na corrida à liderança do PSD. E ambos prometeram trazer o partido às vitórias eleitorais que o atual presidente ainda não conseguiu.

No Pátio da Galé, Terreiro do Paço, rodeado de centenas de apoiantes, Miguel Pinto Luz foi o último a apresentar publicamente nesta segunda-feira a sua candidatura à liderança do PSD. E foi ali que marcou território em relação ao adversário Rui Rio, que tem sido acusado de ter dado e querer dar a mão ao governo socialista. O vice-presidente da Câmara de Cascais garantiu que quer um "PSD que não seja uma segunda escolha do PS". Há precisamente oito dias, Luís Montenegro tinha insistido na mesma ideia ao lançar oficialmente a sua candidatura. Um partido sob a sua liderança, disse, nunca será "a bengala suplente do PS".

Esta estratégia de colar Rio ao PS permite aos dois candidatos à presidência do PSD fazer passar a nota de que só com eles haverá uma oposição firme e implacável ao governo, capaz de levar o partido de novo às vitórias eleitorais. Um bom resultado nas eleições autárquicas é uma bandeira que ambos ostentaram e que Rui Rio também já tinha considerado indispensável à sobrevivência do partido. Mas Luís Montenegro foi sempre o mais entusiasta, ao estabelecer como meta a vitória na principal câmara do país, a de Lisboa, agora governada pelo socialista Fernando Medina. De tal forma que se propõe, caso venças as diretas de 11 de janeiro, coordenar pessoalmente esse processo eleitoral. "Sei bem o que quero para voltar a ganhar em Lisboa. Sei bem qual a estratégia e os protagonistas", afirmou o antigo líder parlamentar social-democrata.

Ler mais

Exclusivos