Premium As "provas" contra Bruno de Carvalho e Mustafá que o juiz ignorou

Na acusação que deduziu, o Ministério Público apresenta o ex-presidente do Sporting e o líder da Juventude Leonina como mandantes e instigadores do ataque aos jogadores. "Façam o que quiserem", terá dito Bruno de Carvalho.

O Ministério Público (MP) pediu a prisão preventiva de Bruno de Carvalho e de Nuno Mendes (Mustafá), líder da Juventude Leonina. O juiz de instrução criminal do Barreiro recusou, por falta de indícios fortes sobre os crimes.

Mas o MP diz estar sustentado por várias atitudes, comentários a criticar os jogadores, apoio à "escalada de violência" da claque, até ao ceder à sugestão da "visita" a Alcochete.

Ler mais