Premium E se de repente lhe aparecer um motorista de TVDE que não percebe português, isso é legal?

Para conduzir um táxi é preciso dominar o português, mas a lei que regula a TVDE é omissa sobre tal obrigação. Resultado: cada vez há mais condutores que não percebem a língua do país. No Reino Unido, porém, a Uber perdeu uma longa batalha legal e a partir de setembro os motoristas terão de saber inglês.

Já aconteceu várias vezes à economista e escritora Helena Sacadura Cabral deparar-se com um condutor de TVDE que não falava português, e não gostou. "Acho inadmissível. Na última vez recusei o serviço e reclamei forte e feio. E não paguei, claro, depois da reclamação... Só que isto resolveu o meu problema mas não resolve o de outros com menos voz."

A revelação é feita no Twitter, em resposta a uma pergunta sobre experiências semelhantes. Mas há quem diga que não se importa, até prefere que os motoristas não falem (em qualquer língua), e que caso seja preciso comunicar oralmente não há problema em usar o inglês. E quem adote a perspetiva humanista e antidiscriminatória: os imigrantes quando chegam, sem falar a língua do país, têm de ter algum tipo de trabalho. Sacadura Cabral acha que sim, mas considera que não este: "Se o motorista não fala a língua, o cliente fica à mercê do mesmo, que muitas vezes nem percebe bem o nome da rua, como aconteceu comigo. Foi de noite e pouco agradável."

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG