Premium JS. As guerras dos jovens socialistas

Foi na Juventude Socialista que começaram algumas das inimizades históricas no PS. A JS reúne-se a partir de hoje em congresso, com a candidata à liderança envolta em polémica.

A Juventude Socialista (JS) elege este fim de semana o seu 13.º secretário-geral - e o mínimo que se pode dizer é que o caminho para este conclave tem sido azarado. Nem mesmo o facto de haver uma candidata única à liderança da estrutura de juventude tem serenado o caminho ao XXI congresso dos jovens socialistas. Maria Begonha é, nesta altura, um nome sob fogo cruzado: do currículo ao percurso profissional da candidata à liderança da JS, as polémicas já chegaram ao Ministério Público, com o Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa a abrir uma investigação aos erros no currículo da candidata.

Os problemas com o percurso de Maria Begonha começaram com a biografia publicada na página da candidatura, onde surgia um mestrado que a jovem socialista frequentou, mas não concluiu. O caso, noticiado pelo jornal Público, acabou na demissão do diretor de campanha, mas as polémicas continuaram. O jornal onlineObservador avançou entretanto que a candidata inscreveu no currículo que foi "assessora na área de Políticas Públicas Autárquicas" na Junta de Freguesa de Benfica, isto quando os documentos oficiais - e a própria presidente da junta - dizem que foi contratada para exercer "serviços de apoio ao secretariado".

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG