Exclusivo Tem havido 'bloco central'? Sim, mas só para chumbar leis

Os apelos do Presidente da República para que os principais diplomas de resposta à pandemia reúnam "consenso alargado" - ou seja, entendimentos entre PS e PSD - caíram completamente em saco roto no Parlamento.

A imprensa internacional e os políticos estrangeiros elogiam a "cooperação" em Portugal entre o governo e o maior partido da oposição - mas nesta semana, apesar das proclamações, o "bloco central" só existiu para chumbar leis. Para aprovar, a eficácia esteve pertíssimo do zero.

Das centenas de votações que nesta semana decorreram no Parlamento - estavam em causa mais de cem iniciativas legislativas -, só numa única ocasião o PS e o PSD se entenderam para aprovar. No caso, uma proposta do governo para permitir às autarquias libertarem-se de limites ao endividamento em tudo o que seja despesa relacionada com o covid-19. Mas, nessa proposta, nem só socialistas e sociais-democratas votaram a favor. Na verdade, foi aprovada por unanimidade (e já promulgada pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG