Premium Crise dos professores. Quem ganhou e quem perdeu

O novo decreto da contagem de tempo dos professores irá hoje a votos no Parlamento e tudo indica que será chumbado. O DN avalia quem ganhou e quem perdeu com a crise política que explodiu há uma semana.

Na quinta-feira à noite, 2 de maio, o país acordou para a hipótese, muito concreta, de se estar a desenvolver uma crise política grave - com possível desfecho em eleições antecipadas.

António Costa fez saber nessa noite que havia convocado para o dia seguinte de manhã uma reunião do núcleo de coordenação política do governo destinada a avaliar as consequências no Parlamento da aprovação, na especialidade, na comissão de Educação, da consagração do direito dos professores a serem totalmente ressarcidos pelo tempo de carreira que lhes foi congelado a partir de 2011 (nove anos, quatro meses e dois dias). "Todas as opções estão em aberto", dizia então ao DN uma fonte governamental, abrindo a porta a um cenário de demissão do governo e eleições antecipadas.

Ler mais

Exclusivos