Premium Diretores concluem: manuais do 1.º e do 2.º ano "não são reutilizáveis"

Depois de semanas a apagar manuais escolares - um processo que ainda decorre -, dirigente da Associação de Dirigentes Escolares conclui que os livros dos dois primeiros anos do ensino primário não estão em condições para serem reutilizados.

O Ministério da Educação afirmou nesta quarta-feira que a reutilização dos manuais dos 1.º e 2.º ciclos no ano passado se situou nos 45%. Mas o 1.º e o 2.º ano continuam a ser o calcanhar de Aquiles da medida que tornou os manuais gratuitos até ao 6.º ano. "Em princípio, estes não vão ser reutilizáveis", disse o presidente da Associação Nacional de Dirigentes Escolares (ANDE), Manuel António Pereira, em entrevista ao DN.

A avaliação da capacidade de reutilização dos manuais ainda decorre, depois de o ministério ter alargado o prazo para mais uma semana, com término no dia 5 de julho. Vários professores e funcionários continuam nas escolas a tempo inteiro, responsáveis pela triagem destes livros, apagando o que os alunos lá deixaram escrito e a decidir se podem voltar a ser utilizados por outros. Contudo, já é possível fazer um balanço deste ano letivo. Os dados do Tribunal de Contas relativamente ao ano letivo passado apontam para uma reutilização de 11% nos manuais do 1.º ciclo, mas Manuel António Pereira acredita que a taxa relativa a este ano seja "muito abaixo" da anterior. Somados o 1.º e o 2.º ciclo, apenas 4% dos manuais distribuídos eram em segunda mão, segundo o mesmo relatório.

Ler mais

Exclusivos