Premium Esquadra de Carnide. Medina diz que MAI nunca pediu obras

Depois de o presidente da Junta de Carnide ter acusado o ministro Eduardo Cabrita de má-fé, é agora o presidente da Câmara de Lisboa a afirmar que nada sabe da reorganização das esquadras da PSP. Mas o MAI garante que está tudo a ser "articulado".

Novas informações reveladas pelo presidente da Câmara Municipal de Lisboa (CML), numa reunião na sede no município com o presidente da Junta de Freguesia de Carnide, colocam no Ministério da Administração Interna e na PSP toda a responsabilidade pelo estado de degradação da maior esquadra daquele bairro lisboeta, encerrada desde outubro passado.

No encontro realizado na passada quarta-feira, em que também estiveram presentes vários vereadores, Fernando Medina garantiu a Fábio Sousa, o autarca comunista de Carnide, que, apesar das instalações da esquadra serem propriedade da câmara, nunca lhe foram solicitadas obras pelo MAI ou pela PSP. Mais, Medina frisou que nem sequer foi consultado antes de a decisão de encerramento ser tomada.

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG