Premium "As mulheres da PIDE também torturavam como os homens"

A anterior biografia que fez de um pide foi criticada pelo PCP. A historiadora Irene Flunser Pimentel lança novo livro e insiste em dar a conhecer os que à ordem de Salazar violentaram milhares de presos políticos.

A capa da última investigação da historiadora Irene Flunser Pimentel só tem dois nomes de mulher, o da própria e o de Madalena Oliveira. A autora tem sido uma estudiosa do tema PIDE e Madalena a famosa Leninha da PIDE, uma das mulheres que na polícia de Salazar se equiparava aos piores torturadores homens.

Mesmo assim, Madalena não tem grande espaço neste seu novo livro, Os Cinco Pilares da PIDE , porque, apesar de ter lugar na narrativa devido ao seu papel, não regista tantas responsabilidades como os cinco homens escolhidos a dedo para estas cinco biografias. No entanto, apesar de serem quase ignoradas na estrutura, Irene Pimentel reconhece função das mulheres na organização repressora: "É uma minoria." Uma situação que tem que ver com o regime e o papel destinado às mulheres: "Sobretudo em casa."

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A Europa, da gasolina lusa ao palhaço ucraniano

Estamos assim, perdidos algures entre as urnas eleitorais e o comando da televisão. As urnas estão mortas e o nosso comando não é nenhum. Mas, ao menos, em advogado de Maserati que conduz sindicalistas podíamos não ver matéria de gente rija como cornos. Matéria perigosa, sim. Em Portugal como mais a leste. Segue o relato longínquo para vermos perto.Ontem, defrontaram-se os dois candidatos a presidir a Ucrânia. Não é assunto irrelevante apesar de vivermos no outro extremo da Europa. Afinal, num canto ainda mais a leste daquele país há uma guerra civil meio instigada pelos russos - e hoje sabemos, como não sabíamos ainda há pouco, que as guerras de anteontem podem voltar.